a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Filipe Bernardo vem para ...

Sábado , Jul 20 2019
52

ED Viana com novidades

Sexta-feira , Jul 19 2019
247

Bruno Mouta no CENAP

Sexta-feira , Jul 19 2019
252

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
57001

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
24974

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
19923

2.ª Div. Norte: CRPF ...

Segunda-feira , Nov 24 2014
1587

Paulo Freitas: "Queremos ...

Sábado , Jan 27 2018
552

FPP- Programa Nacional ...

Terça-feira , Fev 19 2019
326

interioresinteriores

67081914 2406274329418850 6941217503150342144 o

Treinador com 15 anos de experiência em todos os escalões de formação na extinta Associação Académica da Amadora, mas, também, na categoria sénior no Clube TAP e mais recentemente no GDR “Os Lobinhos”, vai integrar a equipa técnica do C.A.C.O. como treinador das equipas de Sub23 e Sub19.
Pessoa humilde, trabalhadora e competente, perfil exigido e do agrado da Direção, vai reforçar a equipa técnica liderada por Nuno Henriques, tendo a colaboração de Carlos Santos e Rita Paulo.
“O projeto e todas as condições apresentadas, aliadas ao facto de ser um clube histórico no hóquei em patins já com praticamente 100 anos de existência pesaram na minha escolha. Como me disseram, um clube com historia, mas também com presente e olhos postos no futuro e onde acredito ter, da parte da direção, juntamente com toda a equipa técnica e staff, todas as condições para evoluir e aprender bastante numa das minhas paixões, que é ser treinador de hóquei em patins. Quero corresponder da melhor forma a este convite prometendo trabalho e dedicação e esperando ser uma mais-valia para o crescimento do hóquei em patins no CACO”, afirmou Filipe Bernardo à página oficial do Clube.

Fonte/Foto- CACO

Sábado

jf

O ex AD Barcelos/Campo, João Figueiredo é o mais recente reforço sénior da Escola Desportiva de Viana para disputar o nacional da terceira divisão.
É assim mais um elemento para o conjunto de Viana do Castelo que será orientado por Rodrigo Sousa, juntando-se Rafael Almeida ( estava sem competir ), Duda Chavarria, Rúben Batista ex AD Barcelos/Campo e guarda redes ex HC Fão, António Robalo.

Quanto ao plantel de Sub 23 são conhecidos até ao momento, Luís Martins (ADB/Campo), Cândido Quintela (OC Barcelos), Tiago Dias (ADB/Campo), Diogo Pires (AD Limianos) e Zé Pedro (OC Barcelos).

Fonte: EDV Hóquei em Patins ( facebook )

alojamento local

Bruno Mouta

O CENAP garantiu mais um reforço para a sua equipa de SUB-19, trata-se do guarda-redes Bruno Mouta.

Na epoca de 2018/19 Bruno representava o ACR Gulpilhares, onde venceu o torneio de Encerramento.

tiago guerra

Tiago Guerra está de saída da presidência do HC Turquel, depois de 25 anos à frente do clube. O dirigente fica ligado a alguns dos maiores feitos da história dos Brutos dos Queixos e deixa um legado de estabilidade na 1.ª Divisão, presenças consecutivas nas provas europeias e títulos nacionais femininos. Na hora da despedida, garante que vai continuar a trabalhar pelo emblema, que ficará bem entregue, e lamenta o rumo que o hóquei em patins nacional está a trilhar.

REGIÃO DE CISTER (RC) > Fez inúmeros mandatos à frente do HC Turquel. Cumpriu tudo a que se tinha proposto neste quarto de século?
TIAGO GUERRA (TG) > Fiz tudo o que podia e que não podia pelo clube. Quando iniciei funções foi muito complicado. Em 1992 sucedi na presidência ao meu tio, Joaquim Guerra, e peguei no clube com o Afonso Vicente num momento particularmente difícil em termos financeiros. Eram épocas em que tínhamos António Livramento como treinador e Chambel na baliza. Pagavam-se subsídios a treinadores e jogadores muito elevados. Fizemos grandes épocas, recordo um 4.º lugar no campeonato e uma final da Taça de Portugal, mas não era sustentável manter aquela política desportiva. Decidimos, então, reduzir os custos com a equipa sénior e apostar na formação. Descemos à 2.ª Divisão em 1993/94 e fomos organizando o clube com a chamada prata da casa. Foi dessa forma que subimos novamente em 2001/02, mas descemos na época seguinte. Em 2012/13 voltámos à 1.ª Divisão e estabelecemos o recorde do clube, com oito temporadas seguidas no escalão principal. Mas sempre com muito rigor em termos financeiros. Conseguimos ter equipas quase apenas formadas por jogadores formados no clube e nunca falhamos os pagamentos. Pagamos pouco, mas a horas.

RC > Essa aposta na formação permitiu fabricar inúmeros talentos que jogam ao mais alto nível, até noutros países. Isso é satisfatório para o clube?
TG > É um reflexo desse trabalho, mas confesso, por outro lado, que esse é precisamente um dos principais fatores que me leva a sair da Direção. Os clubes formadores como o nosso acabam sempre por ser prejudicados, porque deixámos de ser ressarcidos pela saída dos atletas. Até há algum tempo, todas as transferências entre clubes tinham de ser pagas. O Benfica ou o Sporting chegam aqui e levam-nos os miúdos mais talentosos com facilidade. Sem sequer uma palavra. Por isso, fica a satisfação de vários deles chegarem ao topo, mas ao mesmo tempo um sentimento de injustiça. A Federação de Patinagem devia voltar atrás com esta situação, porque isto só favorece os grandes. O maior custo que temos no clube é a formação, não é a equipa sénior. E deixou de haver respeito entre os clubes. Há uma falta de valores no hóquei que é preocupante.

"As questões financeiras estão a sobrepor-se na modalidade e clubes como o nosso, fora dos grandes centros, têm uma base de recrutamento muito mais reduzida"

RC > Foi isso que explicou, também o fim da equipa feminina?
TG > Exatamente o mesmo. O Benfica chegou aqui e dava tudo às nossas jogadoras. Ainda conseguimos manter a equipa alguns anos, mas depois acabámos por desistir, pois queríamos recrutar jogadoras e não conseguíamos. Na equipa masculina conseguimos manter, durante alguns anos, uma base boa na equipa, mas as próximas temporadas deixam-me algo apreensivo. Como é que seremos capazes de conseguir recrutar jogadores se não temos capacidade financeira para competir com os outros? É difícil encontrar jogadores para jogar na 1.ª Divisão e se a nossa formação tem tido dificuldades, salvo algumas exceções, para abastecer a equipa será complicado sermos competitivos. As questões financeiras estão a sobrepor-se na modalidade e clubes como o nosso, fora dos grandes centros, têm uma base de recrutamento muito mais reduzida.

RC > O campeonato português é considerado o melhor do mundo. Concorda com esta apreciação? E como é que o HC Turquel se conseguirá manter ao mais alto nível?
TG > As próximas épocas serão muito difíceis para o clube, mas acredito que será possível manter este estatuto de primodivisionário. O campeonato é muito difícil e algo desequilibrado, pois há cinco equipas muito poderosas e as restantes lutarão pela manutenção. Andamos há anos a combater com armas desiguais, porque um jogador do Sporting, Benfica ou FC Porto custa quase tanto como toda a nossa equipa. É por isso que o HC Turquel está a apostar na formação, mas quanto a mim talvez seja necessário repensar as coisas. Nos últimos anos cresceu-se imenso em número de atletas, mas talvez fosse preferível apostar mais na qualidade em detrimento da quantidade. É apenas uma opinião, claro.

RC > Qual é o momento que guarda com mais orgulho da sua passagem pelo clube?
TG > Não tenho dúvidas em dizer que é este ciclo de épocas consecutivas na 1.ª Divisão. A todos os níveis. Em termos financeiros conseguimos ter tudo em dia, deixámos uma verba da época passada e que fica para a nova temporada e isso, para mim, é o mais importante.

RC > Está de saída do clube. É o momento certo?
TG > Já devia ter saído há meia-dúzia de anos. Andei à espera que outro elemento da minha equipa avançasse, mas isso nunca aconteceu e fui ficando mandato após mandato, mas agora é o momento certo. Além disso, tenho de dar atenção à minha família e esqueci-me dela durante tempo demais. A nível profissional nunca senti dificuldades em compatibilizar com o trabalho no clube, mas a família ressentiu-se muito. A família apoiou-me, mas sobretudo agora... Já tinha decidido sair há dois anos, mas gerou-se um impasse e acabei por ficar mais um mandato.

RC > E desta feita isso não poderá voltar a suceder?
TG > Desta vez estou mesmo de saída. Têm-se sucedido reuniões nas últimas semanas para se encontrar uma alternativa para os órgãos sociais e estou certo que será encontrada uma lista. Há um nome bem colocado para assumir a presidência, espero que se resolva em breve. Mas, uma coisa é certa: deixo o HC Turquel em boas mãos.

"Sofri muitos anos para arranjar receitas para fazer face às despesas"

RC > Foi sempre um presidente de balneário?
TG (TG) > Pode dizer-se que sim. Sempre estive aberto ao diálogo e procurei estar próximo dos jogadores e dos treinadores para resolver os problemas quando eles surgissem. Não consigo dizer que não a ninguém e fui-me afeiçoando às pessoas e cada vez mais ao clube, reforçando essa ligação. A homenagem que me fizeram no final da época deixou-me muito sensibilizado. Não queria nada daquilo, porque para mim o importante é o HC Turquel. Mas quando vi que tinha lá a minha família toda, o coração bateu muito forte. E tenho de ter cuidado com essa emoção...

RC > E o que se segue? Continuará disponível para trabalhar pelo clube, mesmo noutras funções?
TG > Deixar o HC Turquel não é uma possibilidade. Querem que continue na Direção, mas agora como presidente honorário. Ainda não disse que sim. Estou a refletir. Sofri muitos anos para conseguir arranjar verbas para fazer face às despesas do clube, organizando eventos, batendo a muitas portas. Felizmente, essa estabilidade financeira também se refletiu nos resultados desportivos. Mas se estivéssemos na 2.ª Divisão a atitude seria a mesma, no sentido de assegurar que o clube cumpria a sua palavra. Essa sempre foi a minha prioridade.

RC > A aposta na HCT.tv foi uma aposta ganha? Sente que foi importante na consolidação do clube?
TG > Quando começámos não havia nada do género. Quebrámos o paradigma das transmissões de hóquei em patins e marcámos pela diferença. De resto, o clube acompanhou sempre a evolução tecnológica, muito devido ao empenho do Dinis Vicente, que tem sido extraordinário no apoio ao HC Turquel ao longo dos anos.

RC > O que espera do futuro do clube?
TG > O HC Turquel vai continuar a crescer. A Direção que entrar em funções vai, certamente, manter alguns dos elementos e, com a chegada de novos dirigentes, isso é uma garantia de que o trabalho vai continuar a ser bem feito em prol do clube. A nível desportivo a prioridade terá de passar pela manutenção na 1.ª Divisão, mas sei que vamos ter grandes dificuldades nas próximas épocas.

RC > E acredita ser possível lutar por títulos nos próximos anos?
TG > Vejo com alguma dificuldade, pelo menos nos próximos anos. A formação não tem sido capaz de gerar jogadores que suportem a equipa sénior e com a disparidade de orçamentos que existem e a dificuldade em encontrar jogadores disponíveis o cenário pode ser adverso. Se não conseguirmos segurar os nossos melhores talentos é muito difícil manter a competitividade. Voltamos a falar da questão das indemnizações pela formação. O medo que tenho do futuro é esse, mas podemos sempre ter a sorte de ganhar um título. Já estivemos nas meias-finais da Taça de Portugal, na época em que subimos à 1.ª Divisão, e na época passada podíamos ter ido ainda mais longe na Taça CERS.

Fonte: www.regiaodecister.pt 

stylist

2019 allstargame HPfem

O Pavilhão Dr Salvador Machado, em Oliveira de Azeméis, vai ser palco, no próximo Sábado à tarde, de mais uma jornada de divulgação do hóquei em patins, na sua vertente feminina.

Esta iniciativa, que é apoiada pela Associação de Patinagem de Aveiro, terá entrada livre.

Durante a tarde, serão disputados dois jogos: o primeiro, será entre as selecções de Aveiro "A" e "B"; O segundo, será entre duas selecções, do Norte e do Sul do país.

stylist

Tuago Amaral

Tiago Amaral vai reforçar a equipa de Sub-19 e Equipa B do F.C. Porto na época 2019/2020. Na época anterior Tiago jogava na equipa sénior do FC Oliveira do Hospital.

 

cesar fidalgoA 6.ª Edição do Torneio de Verão de Hóquei em Patins "César Fidalgo" realiza-se nos dias 19, 20 e 21 de julho, no Pavilhão Municipal e Court de Ténis de Valongo.


Está prevista a realização de 50 jogos e a participação de 20 equipas, reunindo cerca de 200 atletas.
  

Calendario Cesar Fidalgo

00000183 1

De acordo com o Plano Anual das Selecções Nacionais, a Federação de Patinagem de Portugal vai levar a efeito o Estágio Final da Selecção Nacional de SUB-17 de Hóquei em Patins, o qual vai ter lugar nos dias 12 a 16 de Agosto de 2019 no Pavilhão Municipal do Luso, tendo em vista a preparação desta Selecção Nacional para o respectivo Campeonato da Europa corrente ano.

Atletas Convocados:

Associação Desportiva de Valongo (AP Porto)
Gonçalo Filipe Teixeira dos Santos Bento
Ricardo Jorge Delgadinho Fallé
Gustavo Delca Araújo

Futebol Clube do Porto (AP Porto)
João Alexandre Vieira Seixas
Miguel Filipe Terceiro Henriques

Hóquei Clube de Turquel (AP Leiria)
Guilherme Silva Duro

Sport Lisboa e Benfica (AP Lisboa)
Bernardo Ramos Ramalho
Lucas Honório Santos
José Pedro Fernandes Simão Miranda

Clube Desportivo de Paço de Arcos (AP Lisboa)
João Pedro Blasifera Silva
Diogo José Pernas Rodrigues

Sporting Clube de Portugal (AP Lisboa)
Martim Silva Leite

Fonte: FPP

alojamento local

taca jorge coutinho 400

A edição de 2019 do Torneio Jorge Coutinho, organizado pela AP Minho de modo a perpetuar Jorge Coutinho como pessoa e dirigente desportivo tem apenas sete equipas.
Criado para que as equipas do Minho realizassem jogos de preparação, este Torneio todos os anos se apresentada cada vez menos atrativo...

Para 2019, confirmadas estão, da primeira divisão, OC Barcelos e Riba d'Ave, do segundo escalão, o Valença HC, o Famalicense e AD Limianos e da terceira divisão, a ED Viana e o Cartaipense.
Ausências confirmadas estão a Juventude de Viana e o HC Braga, bem como a AD Barcelos/Campo que não vai ter seniores e o HC Fão que ainda sabe se vai constituir equipa senior.
O mesmo começa dia em Setembro, com a final a realizar-se no municipal de Barcelos no dia 5 de outubro.
A AP Minho está a estudar a hipótese das meias finais se disputarem no remodelado pavilhão de Cervães, onde se pratica hóquei em patins pela Cervães Activo.

alojamento local

67184684 2885721204986985 3019700005834326016 n

O jogador Diogo Machado que na passada temporada esteve parado, volta à modalidade para representar o Cartaipense.
O seu ultimo clube foi o HC Fão na época 2017/2018.

Hóquei em Patins 2019/2020
Plantel sénior.
Continuamos a trabalhar, hoje damos conta de mais uma contratação para colmatar as saídas!
Diogo Machado, atleta que por motivos profissionais não jogou esta época que terminou.

Plantel época 2019/2020.
José Paulo (GR) (sub 23)
Daniel Pontes (GR) ( ex- CD Póvoa)

Alberto Martinho
Carlos Rodrigues
Nelson Silva
Pedro Rúben
Pedro Nuno
João Martinho (sub 23)
Alexandre Pontes (ex - HC Fão)
Diogo Machado ( regressa à competição )

Treinador: Orlando Ribeiro

O plantel ainda não se encontra fechado, brevemente daremos conta das novidades que o encerram!

Fonte: Cart Taipas ( facebook )

stylist