P2086267

ACR Santa Cita- SC Beira-Mar 6-7

O Santa Cita recebeu este domingo a equipa do Beira-Mar e perdeu por 7-6, numa partida onde esteve a vencer por 4-1, mas não conseguiu segurar a vantagem, e em particular a não teve argumentos para travar um endiabrado João Correia que fez “gato-sapato” da defesa ribatejana.
Início de partida com as formações a estudarem-se mas foi a equipa forasteira a primeira a abrir o activo por João Correia estavam decorridos quatro minutos de jogo. O Santa Cita respondeu, e nos dez minutos seguintes conseguiu chegar ao 4-1 com os golos da equipa ribatejana a serem apontados por João Paulo ferreira, Tiago Barreiro e Rui Oliveira, por duas vezes. Foi uma fase de ascendente da formação de Pedro Almeida que colocou a formação do Beira-Mar em apuros, fruto da velocidade e sentido de oportunidade da formação do Santa Cita.
Faltavam cerca de doze minutos para o intervalo, mas a formação aveirense a não se ficar e a aproveitar algumas facilidades concedidas e a reduzir ainda antes do intervalo para 4-3, com Diogo Santos a bisar neste período.
A segunda metade seria mais equilibrada com períodos alternados de ascendência de uma ou outra equipa, mas acabaria por ser o conjunto de Carlos Pinho a saber gerir melhor os tempos de jogo e arrancar para um triunfo difícil, mas justo.
O jovem Diogo Santos, que a par de João Correia foram as “bestas negras” nesta partida, igualaria o marcador a 4 bolas à passagem do minuto sete. Ainda no mesmo minuto oito, Tiago Barreiro desperdiça uma GP que poderia colocar novamente na frente do marcador. Não aconteceu aí, aconteceria segundos depois por intermédio de Rui Oliveira.
Numa fase de parada e resposta, a astúcia de Carlos Pinho, o técnico do Beira-Mar, sobrepôs-se à imaturidade no banco do ainda jovem Pedro Almeida. A ler o jogo e a perceber os pontos fracos da formação de Santa Cita, retirou por minutos o experiente João Correia, para o lançar na fase final do encontro. Foi aí que a diferença no final acabaria por ser favorável ao conjunto aveirense. Mas este pormenor, que foi, na nossa óptica, decisivo, ainda demorou a ser “desmontado” pela equipa da casa.
Hélio Catalão aos 12 minutos, na transformação de um LD, empata para a equipa do Beira-Mar e dois minutos depois é João Correia que na sequência de um LD a castigar a 10.ª falta da ACRSC, põem a formação aveirense a vencer pela primeira vez a partida ao fazer o 5-6.
Boa leitura de jogo, muito rápidos nas transposições para o ataque, aproveitando muitas falhas colectivas da formação do Santa Cita, Diogo Santos faz o 4-7 e o “póquer” para a sua conta pessoal neste encontro, ao minuto 15.
O Santa Cita ainda reduz por Rui Oliveira, que também fez quatro golos nesta partida, mas até final o resultado já não se alteraria. Rui Oliveira tem oportunidade de empatar mas desperdiça um LD a penalizar a décima falta dos aveirenses e o mesmo acontece, a 3 minutos do final da partida com João Correia que não aproveita o LD a castigar um CA mostrado a Tiago Barreiro.
Triunfo da equipa mais “astuta” perante um Santa Cita que teve oportunidade de “matar” o jogo, mas não soube gerir a vantagem que chegou a ser confortável somando mais um a derrota intramuros, a quarta, neste campeonato.

Pavilhão de Santa Cita- Tomar

Árbitro: António Gameiro

ACR Santa Cita: Rodrigo Matos (gr), João Ferreira (1), José Marques, Rui Oliveira (4), João Barreiro (1); Eliseu Raimundo, Miguel Boavida, João Fernandes, Pedro Vitorino e Fábio Amendoeira (gr)
Treinador: Pedro Almeida

CS Beira-Mar: Marco Abrantes (gr), João Neves, João Correia (2), Diogo Santos (4), André Silva; Artur Pereira, Hélio Catalão (1), José Pina e Miguel Pedrosa (gr)
Treinador: Carlos Pinho