CarlosGoncalvesCDC1

O experiente treinador de 47 anos, Carlos Gonçalves, orienta atualmente o CD Cucujães e leva já uma carreira de 18 anos como treinador. Atualmente já com o nível três, esteve já passou pela AD Sanjoanense, FC Bomsucesso, CA Feira e FC Bomsucesso, estando agora no CD Cucujães, equipa que ajudou a manter nas últimas duas temporadas. Além destes, Carlos Gonçalves também já foi treinador adjunto da Seleção Holandesa.

Plurisports: Como surgiu o convite para treinar o CD Cucujães
Carlos Gonçalves (Carlos): Penso que surgiu com alguma naturalidade, sabendo que teriam várias opções na mesa. Ainda assim, se me escolheram é porque seria certamente a pessoa que no entender do presidente, reunia as melhores condições para as pretensões do clube, quer desportivas quer pessoais, já que eles teriam informações válidas do trabalho que desenvolvi ao longo destes 18 anos.

PLR: Aceitou logo de imediato, ou havia outras propostas a considerar?
Carlos: Da primeira vez não foi difícil porque achei que era o melhor clube para eu poder relançar a minha carreira de treinador no escalão sénior e de mostrar a mim mesmo que com o meu trabalho era capaz de superar o desafio a que me propuseram. O cenário não parecia muito favorável e as condições não são as ideias, mas temos conseguido cumprir.
Já esta temporada, tive alguns contactos, o que me obrigou a ponderar bem o meu futuro e o CD Cucujães não tinha nada definido, pois haveria eleições, mas acabei por decidir pela continuidade e mostrei-me disponível para continuar, esperando que esse fosse também o desejo do clube.

PLR: Já conseguiu duas manutenções seguidas, ambas com muito mérito. Quais são os objetivos do Cucujães para a próxima temporada?
Carlos: É verdade, sinto mesmo que temos imenso mérito, pois no inicio de cada temporada, não eramos visto com o respeito que esperávamos, mas felizmente acabamos por provar em campo todo o nosso valor. Os meus jogadores batalharam muito e só quem nos acompanha é que sabe dar o valor a estes HOMENS que lutam contra todas as adversidades.

PLR: Como é a vida de treinador de um clube como o CD Cucujães?
Carlos: A vida de um treinador não é fácil em nenhum clube e neste não foge á regra. Obviamente há clubes onde poderá ser mais fácil, que não lidam com alguns dos problemas com que nos debatemos. Ainda assim o maior desafio é tentar manter a moral dos jogadores em alta, pois eles despendem de tempo e até mesmo dinheiro para terem as condições mínimas para poderem jogar. Ainda assim, com garra e muita dedicação ao clube temos superado todas as expetativas e isso já é uma identidade nossa e provada ao longo destas duas épocas.

PLR: O plantel que tem à sua disposição está fechado, ou poderemos ter novidades para a nova época?
Carlos: De momento não esta está fechado, mas gostaria de já ter tido a possibilidade de poder contratar 1 ou 2 atletas que pudessem acrescentar algo ao grupo, mas tal não foi possível devido ao impasse da direção. Ainda assim, estou convicto que poderá vir a entrar um ou outro elemento, que nos possa ajudar a colmatar algumas lacunas, mas caso não venha acontecer já provamos que somos capazes de superar desafios e este será mais um, sabendo de antemão que iremos lutar com menos argumentos que os nossos adversários, mas com muita vontade de alcançar o objetivo pretendido.

PLR: Quais foram as maiores dificuldades encontradas até ao momento?
Carlos: Existem muitas situações injustas no hóquei, mas não vou estar a perder tempo com quem não merece, pois muitas vezes temos sido prejudicados, só porque somos pequenos e isso custa, pois ninguém gosta de ver a dedicação e esforço de cada fim de semana serem postos em causa por pessoas que supostamente deveriam ser os maiores promotores da modalidade, alterando a verdade desportiva.

PLR: Qual o melhor momento destes dois anos no CDC? Qual o pior?
Carlos: Obviamente os melhores momentos foram no final de ambas as épocas, conseguir garantir a manutenção no Campeonato Nacional da 2.ª Divisão. Não foi um caminho fácil, mas no final sabe muito bem sentir que conseguimos cumprir o objetivo, que era a manutenção.

PLR: Que mensagem deixa para os sócios/simpatizantes do CD Cucujães e adeptos do hóquei em geral?
Carlos: A mensagem que eu posso deixar aqui a todos é apelar a que apareçam em massa no pavilhão e apoiem esta equipa, que bem merece. Além disto, quero agradecer aos jogadores pois eles têm sido incansáveis. Deixo também uma palavra de apreço à nossa claque a “Frente Armada”, que nos tem ajudado a superar os obstáculos que temos tido nesta etapa.

Foto: Facebook Carlos Gonçalves

Sponsored By:

workshops para rodapé Noticias AutoManicura