a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

CNF- Zona Sul- Turquel ...

Quinta-feira , Out 06 2022
14

CNF- Zona Centro- ...

Quinta-feira , Out 06 2022
7

Liga Placard- Resumo GRF ...

Quinta-feira , Out 06 2022
18

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
62510

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
31376

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
25404

CNF- CA Feira vence ...

Quarta-feira , Abr 27 2022
427

XXIX Torneio ...

Sexta-feira , Jun 12 2015
1685

1.ª Div: Candelária ...

Segunda-feira , Mar 21 2016
1879

1 9 Cabeleireiro unissexo 3 Outubro

goncaloalves fcporto barcelona 281115 nO FC Porto Fidelidade venceu, este sábado, o Barcelona por 2-1, em partida da quarta jornada do grupo A da Liga Europeia. Foi uma vitória dura, suada, mas merecida de uma equipa que soube sofrer, soube defender e que surpreendeu o bicampeão europeu em sua casa, graças aos golos de Reinaldo Garcia (26m) e Gonçalo Alves (38m), tendo reduzido para os catalães Xavier Barroso (45m). Foi uma vitória histórica para os Dragões, que ganharam, pela primeira vez em jogos oficiais, ao Barcelona no seu recinto e garantiram desde já a passagem aos quartos-de-final da competição.

Antes do início do jogo, Reinaldo García foi homenageado no Palau Blaugrana pelo seu antigo clube. O Barcelona ofereceu ao argentino uma lembrança e uma camisola emoldurada com o n.º 57, que utilizou nos catalães e utiliza agora no FC Porto, numa tradição que o bicampeão europeu vai mantendo para os seus antigos atletas. Os azuis e brancos entraram no jogo bem no jogo, com uma defesa alternadamente em quadrado e em losango - algo pouco habitual - e, aos dois minutos, Jorge Silva conseguiu isolar-se, mas o remate não saiu nas melhores condições. O Barcelona começou a assumir mais a partida, como era expectável, mas os portistas iam dando uma boa resposta e não abdicavam do ataque organizado.

O melhor período dos Dragões na primeira metade foi mesmo entre os 13 minutos e o intervalo, em que somaram boas oportunidades para marcar, com destaque para Hélder Nunes que, a dez minutos do intervalo e isolado, não conseguiu bater o capitão catalão, e para Rafa, que entrou muito bem na partida. O avançado somou uma grande iniciativa individual que terminou num remate defendido por Egurrola e ainda uma boa jogada que Vítor Hugo não conseguiu concretizar; também Gonçalo Alves e, novamente, Vítor Hugo deram corpo ao caudal ofensivo portista, mas não conseguiram dar o melhor seguimento às boas jogadas ofensivas dos azuis e brancos. Solidária, a equipa portista defendeu também de forma soberana durante os primeiros durante os primeiros 25 minutos e, no ataque, só faltou mesmo marcar, porque Egurrola foi a maior figura desta metade e fechou completamente a baliza.

A segunda metade começou com o golo de Reinaldo Garcia: circulação por trás da baliza, o argentino ganhou a frente a Lucas Ordoñez e fez o 1-0 para os Dragões. Vantagem (mais do que) justificada para os portistas, que eram a melhor equipa até ao momento e justificavam este prémio para a equipa e para os ruidosos adeptos portistas presentes no Palau Blaugrana. Os Dragões mantiveram a postura frente aos bicampeões europeus e, apesar de uma maior pressão azul-grená, a defesa resistia e, finalmente, à 10.ª falta do Barcelona, Gonçalo Alves aumentou a vantagem para 2-0, num livre directo marcado de forma exímia pelo avançado. O mesmo Gonçalo podia ter colocado o marcador em 3-0 a dez minutos do final, mas o livre directo (cartão azul a Pablo Álvarez), desta vez, saiu por cima.

Os comandados de Guillem Cabestany cerraram fileiras e tentaram manter-se à tona da gigante pressão catalã e ao deixar jogar dos árbitros italianos, sobrevivendo de forma exímia até à 15.ª falta (uma defesa enorme de Nélson Filipe ao remate de Sergi Panadero), mas Xavier Barroso reduziu mesmo, a 5 minutos do final, num remate inesperado de longe. A 3m do final, os catalães mandaram uma bola ao poste (os Dragões enviaram três durante toda a partida), mas a 2m40 do término do encontro Lucas Ordoñez viu o cartão azul e, apesar de o lance não ter dado golo – Gonçalo Alves falhou o livre directo -, colocou o Barcelona a jogar em inferioridade numérica.

Os Dragões fizeram das tripas coração e garantiram uma vitória histórica que os coloca desde já nos quartos-de-final da Liga Europeia e com a vantagem de jogar o encontro da segunda mão em casa nessa fase da competição.

FICHA DE JOGO

BARCELONA-FC PORTO FIDELIDADE, 1-2
Liga Europeia, grupo A, 4.ª jornada
12 de Dezembro de 2015
Palau Blaugrana, em Barcelona, Espanha

Árbitros: Alessandro Eccelsi e Filippo Fronte (Itália)

BARCELONA: Aitor Egurrola (g.r., cap.), Sergi Panadero, Pablo Álvarez, Matías Pascual e Marc Gual
Jogaram ainda: Lucas Ordoñez, Xavier Barroso e Xavier Costa
Não utilizados: Sergi Fernández (g.r.) e Nil Roca
Treinador: Ricard Muñoz

FC PORTO FIDELIDADE: Nélson Filipe (g.r.), Reinaldo Garcia, Hélder Nunes, Jorge Silva e Gonçalo Alves
Jogaram ainda: Rafa, Vítor Hugo e Telmo Pinto
Não utilizados: Edo Bosch (g.r., cap.) e Álvaro Morais
Treinador: Guillem Cabestany

Ao intervalo: 0-0
Marcadores: Reinaldo Garcia (26m), Gonçalo Alves (39m) e Xavier Barroso (45m)
Disciplina: cartão¨azul para Pablo Álvarez (40m) e Lucas Ordoñez (48m)

Foto/Fonte: FCPorto