a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

CNF- 2.º Jogo da Final- ...

Terça-feira , Jun 28 2022
1

Nahuel Castro é reforço ...

Terça-feira , Jun 28 2022
2

Play-Off-Final- jogo 4- ...

Segunda-feira , Jun 27 2022
20

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
62076

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
30866

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
25022

AP Minho apresenta ...

Quarta-feira , Mai 24 2017
1388

2.ª Norte- Infante ...

Sábado , Nov 21 2020
721

Sporting CP sofre mas ...

Domingo , Mai 22 2022
61

massagista inicial

12241192 1066350596728777 2213851738174293928 n

Aproveitando este interregno fruto da época natalícia, fomos ao encontro de Vítor Pereira, treinador da AD Sanjoanense, equipa que luta neste momento para sair da zona de despromoção.
Um Clube que vive uma realidade diferente da maioria que milita no principal campeonato português, mas que não inibe, nem o técnico nem os responsáveis deste Clube da Associação de Aveiro, em mostrar o seu melhor, mesmo que isso seja menos que aquilo que os outros tenham. Inserido numa zona com grande implantação industrial, ainda assim as dificuldades são mais que muitas, mas Vítor Pereira, Homem com muitos anos ligado a esta modalidade, não vira a cara às dificuldades. Como diz a determinada altura desta entrevista, o lema que escolheram, foi “Crescer para Vencer”, e só por si esta frase encerra muito daquilo que é a imagem do Clube e por arrasto deste técnico.

Plurisports- Vítor, que analise, antes de mais, faz da prestação da sua equipa até ao momento?

VP - A Equipa da AD Sanjoanense, tem feito um campeonato a cumprir os serviços mínimos, começamos com uma sequência de jogos muito complicada, onde apesar de mostrar alguns aspectos positivos, não foi possível surpreender alguns dos difíceis adversários. Penso que, o que era obrigatório ganhar até agora conseguimos, mas onde podíamos ganhar não o fizemos, onde podíamos surpreender não o fizemos. A equipa tem demonstrado uma atitude positiva, uma identidade que dignifica, mas vivemos de pontos, e nesse aspecto a nossa prestação está um pouco aquém daquilo que eu esperava.

PLR- Esta “aflição” na tabela classificativa, não é nova para o Vítor. O que falta à equipa para mostrar um desempenho melhor que o que aconteceu na temporada transacta?

VP- “Aflição”, não será ainda neste momento o termo mais ajustado, no entanto trabalhar numa situação onde nos encontramos constantemente numa situação de descida não é a melhor, gostaria de ter outra estabilidade classificativa para podermos desenvolver um trabalho mais ajustado ao tipo de campeonato que estamos inseridos. Apesar de um campeonato difícil , do sofrimento que passamos o ano passado, foi um campeonato com bom desempenho pois conseguimos atingir o nosso objectivo principal, a manutenção. Como treinador pretendia esta nova época puder trabalhar e lutar por outros objectivos, mas a realidade da Sanjoanense ainda não o permite, como tal o que nos foi pedido para esta época, foi atingir o mesmo objectivo, a manutenção. Obviamente que gostaríamos de o fazer de forma mais tranquila mas a realidade do nosso clube é esta, temos que ter a noção e a humildade para reconhecer as nossas limitações, trabalhar de forma digna e crescer. Crescer para vencer, foi o lema escolhido neste inicio de época, penso que se ajusta, o clube, a secção de hóquei em patins precisa crescer, a estrutura precisa de ficar mais solida, os grandes patrocinadores precisam aparecer, as condições melhorarem de forma a que todos possamos dar o nosso máximo e potencializar as capacidades quer individuais quer de grupo.

PLR- Estando a AD Sanjoanense inserida numa área geográfica de grande implante empresarial, qual o motivo de haver tão pouco investimento das mesmas no hóquei em patins? E isso é, ou não, decisivo para o desempenho da equipa na prova principal?

11960284 1032408236789680 2425093453628472701 nVP- S. João da Madeira apesar de ter muitas empresas na sua zona geográfica, a grande maioria são pequenas e medias empresas, que como sabemos e vemos constantemente nas noticias, por vezes são as mais penalizadas em termos fiscais, e as que vivem com maiores dificuldades. A falta de benefícios concretos em termos de apoio ao desporto perante essas empresas, faz com que muitas vezes as portas se fechem para o apoio ás coletividades e associações. A Cidade é pequena, existem mais coletividades, a ADSanjoanense é um clube bastante eclético, com futebol, basquetebol, andebol, ginástica, hóquei … , todos eles com escalões de formação, todos necessitam de apoio.
Não podemos esquecer que durante longos anos a ADSanjoanense hóquei em patins esteve afastada dos grandes palcos da modalidade, tentativas que infelizmente não resultaram, fizeram com que as pessoas, os adeptos, os empresários se afastassem da modalidade. Também é sabido que erros do passado penalizaram o Clube e criaram um passivo que faz com que os apoios institucionais não cheguem ás secções na escala pretendida, etc …
Nestes últimos anos tentamos caminhar em sentido inverso, e com os “serviços mínimos “ temos tentado mostrar que é possível, que vale a pena acreditar e apostar no hóquei em patins. Os nossos adeptos estão de volta, de volta e em força, dão uma força e uma imagem do nosso hóquei muito positiva, com isto esperamos que o resto surja durante este processo de crescimento. “Decisivo”, não sei se é a palavra certa, mas que seria muito importante, que ajudaria a resolver algumas situações e minimizar diferenças disso não há duvidas. Para já resta-nos agradecer muito aqueles que têm acreditado e apostado no Hoquei em patins.

PLR- É um homem de luta e que percebe a dificuldade em conseguir lutar com armas iguais com a maioria das equipas no campeonato. Qual o segredo para poder chegar a um patamar que lhe permita fazer um campeonato mais descansado?

VP- Estamos num campeonato em que a maioria das equipas são profissionais, ou semi profissionais, situação essa, pelo que já disse anteriormente, neste momento não é compatível com o nosso Clube, como tal, teremos de ter consciência do que somos, do que queremos, lutar com as armas que temos, estar preparado para trabalhar de forma séria, de forma digna, dar o nosso melhor, procurar o limite. É preciso compromisso, honrar o compromisso com o clube e com os nossos adeptos que, apesar das dificuldades, mantêm-se a lutar a nosso lado. Apesar do “amadorismo”, dar o nosso melhor e trabalhar sério, se o fizermos, se mantivermos este crer, este acreditar que nos trouxe até aqui, com alguns ajustes óbvios ficaremos mais fortes e capazes de em épocas futuras fazermos campeonatos mais tranquilos. Penso que não existem segredos, mas sim momentos, temos vivido momentos difíceis que nos tem trazido sofrimento e momentos de grandes alegrias, temos que continuar a procurar, a lutar por momentos positivos e estar coma disponibilidade para nos superarmos em alguns momentos. Procurar trabalhar com uma dinâmica de crescimento e manter esta mística a alma da Sanjoanense, esta vontade de ganhar, de Crescer para Vencer, este querer estar entre os melhores. Independentemente de quem estiver à frente, esta equipa deverá ter sempre como objetivo, estar entre os melhores. Seria importante garantirmos a manutenção o mais cedo possível, seria importante para se poder planear com mais rigor a época seguinte de forma a solidificar o nosso processo de crescimento.

PLR- Que análise faz do campeonato nacional esta temporada? Quais as equipas que o estão a surpreender, pela positiva, e negativa?

VP- No meu entender, este ano o nosso campeonato é o melhor. O melhor dos últimos anos, o melhor do hoquei, equipas fortes, planteis mais equilibrados, jogadores internacionais talentosos, muitos jovens com valor a competir ao mais alto nível … é com enorme satisfação que vejo o clube que defendo a competir neste grande campeonato, o que obviamente torna ainda mais aliciante e difícil este desafio que temos pela frente.
A classificação atual, e analisando as jornadas, fator jogos casa, jogos fora, não me traz nenhuma supressa significativa, uma ou outra referencia sempre difícil de analisar devido a competitividade, ao equilíbrio de grande parte das equipas. Talvez esperasse um pouco mais da equipa do Sporting pela forma experiente como se reforçou, um Benfica fortíssimo a dar mais relevo a qualquer deslize dos adversários diretos, um Oquei de Barcelos forte, que no meu entender não é surpresa mas confirmação do trabalho desenvolvido. Resultados aí sim, a vitoria esclarecedora do Valongo em Oliveira de Azemeis, a derrota do FCPorto em paço de Arcos, a vitoria do Braga frente ao Sporting foi importante, as Derrotas por números expressivos do Sporting frente aos velhos rivais. Estes Resultados poderão ter sido mais surpreendentes embora a nível de classificação não trouxeram grandes alterações ao previsto, sendo que vêm comprovar que o hoquei em patins é um desporto onde a teoria pode ser facilmente modificada na prática, acredito nessa lógica e procuro alterar alguns resultados teoricamente definidos.

12189744 1059923054038198 6781967343079587011 nPLR- A Sanjoanense está localizada numa região onde o hóquei em patins é muito forte, com muitos Clubes a praticar a modalidade. Como analisa a formação da Sanjoanense no panorama regional?

VP- A ADSanjoanense e face a tudo que fomos falando anteriormente é uma equipa que se esforça por apostar nos jovens, jovens valores do clube e da região. A Sanjoanense está a trabalhar de modo a melhorar a sua formação e voltar a ser referencia regional na modalidade a nível de escalões jovens. Com todo esse empenho espera rentabilizar essas apostas na equipa sénior sempre que possível. É com enorme Orgulho como treinador, com um percurso dentro do clube, que vejo jovens formados na Sanjoanense a jogar a um nível elevado, quer em seleções, quer na primeira divisão e campeonatos nacionais jovens. Obviamente que para isso é importante o crescimento e a afirmação da Equipa Sénior no hoquei em patins, não só a nível regional, mas sim a nível nacional. Na minha opinião, face à lei existente de transferências neste momento, penso que os Seniores de um clube a competir a um nível elevado, serão os alicerces para o clube ter uma estrutura desportiva sólida e fundamentada na formação, sem que os jovens valores sintam necessidade de procurar desafios mais aliciantes. Esta forma de pensar, a qual demorei algum tempo a interiorizar e solidificar, apesar de ser contestada por alguns deverá ser o caminho dos clubes, principalmente daqueles que possuam menos recursos financeiros e queiram potencializar os jogadores da formação.
A sensação que tenho é que neste momento o Hoquei em patins da Sanjoanense, pela forma que se apresentou ultimamente, recuperando e indo de encontro á sua história , pela forma como se vive os jogos, pela forma entusiasmada que os adeptos nos acompanham, pela luta constante por superar desafios e ultrapassar as dificuldades, é uma referencia para a modalidade a nível regional e uma pequena referencia a nível Nacional.

PLR- Para terminar esta pequena entrevista, o que podemos esperar desta formação da Sanjoanense para o resto da temporada?

VP- Enquanto eu for o treinador da equipa sénior, o que podem esperar, é mais do mesmo que temos apresentado até agora. Uma equipa que está empenhada em atingir o seu objectivo com trabalho, querer, vontade de vencer, sabendo que teremos que suar muito, teremos de ser rigorosos para superar as dificuldades, ser iguais a nós próprios nos jogos respeitando a nossa identidade. Uma Sanjoanense que joga sem receios, apresenta-se em todos os jogos com o intuito de fazer o melhor e lutar sempre pelo melhor resultado possível. Trabalhamos para apresentar um hoquei positivo , que respeite, dignifique e honre os nossos adeptos, a nossa Cidade e as suas gentes. Sobretudo uma equipa que acredita e acreditará sempre que será difícil mas possivel.

workshops para rodapé Noticias AutoEpilação