a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Xavier Barroso- “Vamos ...

Terça-feira , Fev 07 2023
12

Edu Lamas- “Vamos com ...

Terça-feira , Fev 07 2023
13

3.ª D- Série D- CRIAR-T ...

Terça-feira , Fev 07 2023
17

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
62988

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
31851

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
25834

Cabestany- “ Só a pensar ...

Domingo , Mar 05 2017
1883

Rodrigo Martins "Título ...

Quarta-feira , Ago 09 2017
1891

Resumo do HC Turquel- FC ...

Segunda-feira , Out 12 2020
832

4 Tec Massagem 27 Fev

AP Lisboa – AP Porto 6-7 (3-3 no final do tempo regulamentar)

12874099 1326587374033691 337244203 o

 

Grande final que Lisboa e Porto proporcionaram às centenas de pessoas que assistiram ao vivo no Pavilhão Sidónio Serpa em Ponta Delgada e que encerrou a 40.ª edição do Inter-regiões, com esta partida a ser decidida nas grandes penalidades, após o empate a 3 bolas no final do tempo regulamentar.
Duas equipas que procuraram desde o primeiro minuto o triunfo, e foi o Porto a inaugurar o marcador aos 8 minutos por intermédio Diogo Abreu.
Lisboa assumiu o jogo e parte final deste primeiro tempo teve quase sempre sinal mais dos lisboetas que tiveram um último minuto diabólico. Bruno Santos empata, poucos segundos depois Afonso Severino coloca a equipa alfacinha pela primeira vez na frente do marcador e a 20 segundos do intervalo, o mesmo jogador desperdiça um LD a castigar um Azul mostrado a Diogo Abreu.
O Porto voltou do intervalo decidida a dar a volta ao marcador e consegue logo ao quarto minuto desta etapa complementar com Diogo Abreu a empatar na transformação de uma GP e segundos depois e João Pereira que com uma seticada fortíssima surpreende Zé Estrela e coloca a formação nortenha a vencer por 3-2.
Sempre de prego a fundo de um lado e do outro é novamente o seleccionado lisboeta que empata por Gustavo Pato, numa insistência do camisola 4 dos alfacinhas. Até final do tempo regulamentar o resultado não se alteraria. Veio o prolongamento e os guarda redes superiorizaram-se aos avançados, com o jogo a terminar sem que o empate se desfizesse.
E nas grandes penalidades veio o sortilégio e aí foi o Porto o mais eficaz e feliz, porque aqui nesta situação também é necessário ser-se feliz. Foi o Porto.

Foto- David Veiga/hoqueipatins.pt

workshops para rodapé Noticias NailArt