a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Bernardo Ramalho reforça ...

Segunda-feira , Jul 04 2022
59

Termas OC com 3 reforços

Segunda-feira , Jul 04 2022
98

Francisco Beirante é ...

Segunda-feira , Jul 04 2022
65

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
62103

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
30893

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
25047

David Pereira será o ...

Quinta-feira , Ago 04 2016
2023

4ª Jornada da Taça da ...

Sábado , Mar 19 2022
119

HC Portimão organiza ...

Terça-feira , Mai 10 2016
2371

massagista inicial

TomasMoreiraSportingCP

Tomás Moreira, jogador Sub20 do Sporting CP deu uma entrevista ao Jornal "O Regional", onde fala um pouco sobre esta temporada em que além de representar o escalão Sub20 dos leões, onde é capitão de equipa, representa também a equipa B do Sporting, que disputa o Campeonato Nacional da 3.ª Divisão - Norte D. 

«Fruto da grande escola de formação do hóquei da AD Sanjoanense, Tomás Moreira é um exemplo flagrante de um jovem que desde cedo agarrou a oportunidade de vingar no hóquei em patins. Aos dez anos foi à procura de títulos no FC Porto, clube que sonhava representar desde criança. Conseguiu ser campeão nacional logo na primeira temporada, e em 2012 aceitou o desafio da AD Valongo, conseguindo aí também ser campeão nacional de sub-20. Agora no Sporting CP, o objetivo passa pelo mesmo, ainda que com outra responsabilidade, uma vez que enverga a braçadeira da equipa de sub-20 dos ‘leões’. Na Seleção Nacional, 2016 está a ser um ano memorável para o jovem talento, uma vez que alcançou o título de campeão europeu de sub-20 na Suíça. Títulos e mais títulos para uma jovem pérola de apenas 19 anos que ainda pretende, num futuro próximo, chegar à equipa principal do Sporting CP, sempre conciliando os estudos na Católica Lisbon. Um pequeno grande jogador que fala sem rodeios do desejo de um dia voltar a vestir a camisola alvinegra.

Em 2003 começaste a tua caminhada sobre rodas na AD Sanjoanense, de onde saíste em 2007. Esses tempos são nostálgicos para ti?
Tomás Moreira - Claro que sim! Foi na Sanjoanense que me apaixonei por esta modalidade e lá aprendi muito. Também fiz grandes amigos, com os quais ainda hoje mantenho contacto.

Em 2007, tens a oportunidade e mudas-te para o FC Porto, enquanto Infantil. Aos dez anos, sentiste que era uma oportunidade que não podias recusar? Como se processou esta mudança?
O meu sonho de criança sempre foi representar o FC Porto e, mal surgiu o convite, nem pensei duas vezes. Tudo isto não teria sido possível sem a ajuda dos meus pais que me apoiaram nesta mudança e que fizeram um enorme esforço com as deslocações para os treinos e jogos. A adaptação foi fácil, tive a sorte de os meus colegas de equipa e diretores me terem ajudado a ambientar-me, e desde o dia em que lá cheguei começaram a incutir-me o espírito vencedor, uma vez que lá só havia um objetivo, que era ganhar tudo.

Pelos ‘dragões’, foste sempre campeão nas quatro temporadas em que lá estiveste, e campeão nacional de sub-13. Ainda tão jovem, como viveste a experiência de ser campeão nacional?
Foi uma experiência incrível, transferi-me para o FC Porto com o objetivo de conquistar títulos e de estar presente em decisões dos títulos nacionais, e ser campeão logo na minha primeira época lá foi um sonho tornado realidade.

Que balanço fazes do período em que jogaste pelo FC Porto?
O balanço é muito positivo, aprendi muito, foi no FC Porto que comecei a jogar ao mais alto nível. Tive sempre equipas muito fortes e competitivas ,tive a oportunidade de jogar ao lado dos melhores jogadores nacionais que me ajudaram a evoluir.

Em 2012 encaras um novo desafio, no Valongo, numa altura em que eras Juvenil. O que te levou a mudar de clube?
O Valongo começou a apostar na formação, muitos jogadores do FC Porto saíram para o Valongo, e pensei que poderia um dia atingir a equipa principal, visto que no FC Porto seria muito complicado.

Foste novamente campeão nacional, desta feita pelos sub-20. Já com outra experiência, e atuando por um emblema diferente, o que significou para ti ser campeão nacional pelo Valongo?
Ser campão nacional é o objetivo de todos os atletas. Ganhar num clube que nunca tinha conquistado um título nacional de sub-20 teve um sabor especial, e foi o culminar de uma grande época.

No ano passado, saíste do Valongo rumo a Alvalade, para jogar pelo Sporting CP. O que te motivou a mudares-te para Lisboa?
A principal razão foram os estudos , vim estudar para uma das melhores faculdades do país, e é na capital que estão as melhores oportunidades no meu ramo (Gestão). O convite do Sporting, numa altura em que o clube estava a apostar no hóquei, ajudou à minha tomada de decisão, visto que poderia assim continuar a jogar num grande clube.

Sentes que fizeste a escolha certa?
Sim, a nível desportivo a época passada foi muito positiva , fomos vice-campeões nacionais e consegui alcançar um dos meus maiores sonhos, que foi ser convocado para a seleção nacional portuguesa.

Já na temporada passada, jogaste na parte final pelos seniores do clube, para o campeonato e Taça de Portugal. Um grande orgulho para ti, suponho...
Claro que sim , foi uma experiência incrível poder jogar ao lado dos meus ídolos. Aprendi muito com eles, e sinto que evoluí muito como jogador e pessoa.

O grupo acolheu-te bem nessa altura?
Muito bem, foram todos incríveis, ajudaram-me a ambientar-me a uma nova realidade e ensinaram-me muita coisa!

Este ano és o capitão da equipa de sub-20. O que significa para ti envergar a braçadeira de um clube como o Sporting CP?
É um orgulho enorme e uma responsabilidade acrescida ser capitão de um grande clube como o Sporting. Tenho que dar o exemplo, e é muito bom saber que confiam em mim para desempenhar este papel tão importante.

Também estás na equipa B do Sporting CP. É muito diferente relativamente aos sub-20? Como te integraste no grupo?
Os seniores B estão a disputar a 3 divisão nacional e a equipa é constituída pelos atletas dos atletas sub-20 á exceção de 1 que é sénior. A maior diferença é que estamos a competir contra jogadores mais experientes, mais velhos que nós e só é bom para evoluirmos.

Como está a correr a temporada até agora?
Está a correr bem, para já estamos no bom caminho para alcançarmos os objetivos que foram delineados. Estamos em 1ºlugar do campeonato nacional da 3ª divisão de seniores B e em 1º lugar no campeonato distrital de sub-20.

Já no que toca à Seleção Nacional, este ano foi certamente memorável para ti, ao tornarem-se pentacampeões da Europa de Sub-20. No que toca a ti, que como foi o trajeto nesta prova que se realizou na Suíça?
Representar o meu país era um sonho que já andava a perseguir há muito tempo, e sem dúvida que este foi um dos momentos mais marcantes da minha ainda curta carreira. A prova foi muito complicada, jogámos contra seleções muito fortes, mas o nosso espírito de equipa e a nossa vontade de vencer levaram-nos ao tão desejado título.

Consegues exprimir por palavras a importância de conquistar este título?
Foi o concretizar de um sonho, e foi bom para eu perceber que com muito trabalho e espírito de sacrifício, tudo é possível.

Ainda com 19 anos, o que esperas alcançar no futuro?
Sou muito jovem e ambiciono ganhar tudo o que há para conquistar. Num futuro mais próximo, sonho em atingir o plantel principal do Sporting.

Nunca esquecendo a componente académica, é difícil conciliar os estudos na Católica Lisbon School of Business & Economics com a modalidade?
Sim , é muito difícil . A Católica Lisbon é uma faculdade muito conceituada que exige muito estudo. O facto de ter treinos quase todos os dias obriga-me a ter que gerir muito bem o meu tempo, e a ter que aproveitar todos os momentos livres para me focar nos estudos.

Passa pelo pensamento um eventual regresso à AD Sanjoanense?
Claro que gostaria de um dia mais tarde voltar a representar o clube que me viu nascer para a modalidade!"

Foto|Fonte: Jornal "O Regional"

 workshops para rodapé Noticias EscovaProgressiva