a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

1.ª D- Resumo do SC ...

Quinta-feira , Jan 20 2022
14

Tiago Rodrigues- “Isto é ...

Quinta-feira , Jan 20 2022
12

1.ª D- Resumo do ...

Quinta-feira , Jan 20 2022
10

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
61631

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
30156

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
24450

CNF- Centro- Sanjoanense ...

Terça-feira , Nov 30 2021
64

À conversa com André ...

Quinta-feira , Jan 14 2016
1893

2.ª Div. Sul: Académica ...

Domingo , Out 25 2015
1523

3 Cabeleireiro Inicial

Terronia

15350686 1398056673538327 7935836711090901262 n

HC Vasco da Gama - AE Física D 2-8

Na chuvosa noite do passado sábado, Sines foi palco de um jogo que colocava frente a frente 2 equipas, cujos objectivos para esta época são diametralmente opostos, com a equipa da casa a não aspirar a mais do que evitar o regresso ao 3º escalão, enquanto os visitantes ambicionam regressar ao escalão maior do hóquei nacional.
Apesar da diferença de objectivos para a época, ambas as equipas entraram em pista com o mesmo propósito de tentar conquistar os 3 pontos em jogo, tendo sido inclusive a equipa da casa aquela que demonstrou mais atrevimento nos primeiros instantes, entrando de forma enérgica na partida de forma a surpreender os seus adversários.
Seriam no entanto os forasteiros a adiantar-se na partida quando estavam decorridos cerca de 3 minutos de jogo, na sequência de um ataque rápido muito bem desenhado, iniciado no stick de Gaspar e concluído por Garrancho ao 2º poste, depois de uma assistência perfeita de João Lima.
Os Alentejanos não acusaram este golo e continuaram intensos em busca do golo, que esteve perto de acontecer quando Filipe Duarte “Pipoite” rematou com violência à entrada da área, com a bola a embater no poste da baliza à guarda do jovem Bernardo Antunes.
Numa altura em que o jogo se mantinha equilibrado, nova transição rápida do ataque forasteiro, permite à Física elevar a contagem, desta feita por André Gaspar, com um remate de primeira desferido à entrada da área, correspondendo da melhor maneira a uma assistência do seu capitão, Carlos Godinho “Carlitos”.
Os comandados por “Bogas”, começavam a desesperar e com mais coração que cabeça, continuavam a tentar chegar à baliza adversária, numa dessa tentativas a bola até acaba por entrar, mas o árbitro não valida o eventual golo, sancionando uma clara falta sobre o jovem guarda redes Torriense.
Faltavam cerca de 10 minutos para o final da 1ª parte, quando surge o 1º “time-out” para os forasteiros, numa altura em que a Física estava já claramente por cima do jogo, valendo nesse período o g. redes “alentejano”, que com um punhado de boas defesas ia evitando o avolumar do resultado, no entanto a vantagem dos comandados por André Gil seria ampliada de novo por Garrancho, que na marcação de um livre indirecto à entrada da área, desferiu um “míssil” que só parou dentro da baliza adversária.
Logo a seguir a novo “time-out” surge uma grande penalidade a penalizar uma pretensa falta do jovem Fábio Cambão, na conversão da mesma “Pipoite” reduz a desvantagem da sua equipa, quando faltavam 4m30s para o intervalo.
Reagem de novo os da casa, brilhando nesta fase o g.redes Bernardo Antunes, sempre muito seguro quando solicitado, permitindo inclusive com a suas defesas, diverso contra-ataques, sendo num deles que surgiria o 4º golo, numa excelente execução de João Lima, que finalizou da melhor forma um 2x1 depois de assistido por Garrancho.
Instantes depois deste golo, chegaria o intervalo.
A 2ª parte inicia-se praticamente com o jovem Fábio a ser carregado dentro da área adversária, sendo assinalada a correspondente grande penalidade, Garrancho que havia ficado no banco neste reinicio de partida, regressa à pista mas não consegue converter este castigo máximo.
Cerca de 1 minuto volvido, Fábio é desta vez enganchado à entrada da área, sendo marcado o correspondente LD. Chamado à conversão André Gaspar não desperdiça, elevando para 5-1 a vantagem da sua equipa, iniciando-se aqui um período de grande inspiração do camisola 5 Torreense, que viria a juntar mais 3 golos aos 2 que já havia apontado.
O 1º surgiria na sequencia de uma excelente iniciativa individual, culminada com um vistoso remate em rotação, desferido já dentro da área, mais tarde com cerca de 9 minutos jogados, elevaria para 7-1, desta feita com um forte remate à ½ volta, este desferido à entrada da área alentejana, e finalmente a 15 minutos do fim, completaria a “manita” convertendo o 2º LD de que dispôs, este a penalizar a 10ª falta adversária, fazendo 8-1 e fechando por completo a partida, no que diz respeito à discussão dos 3 pontos.
Os homens do Vasco da Gama, sentiam claramente que o jogo estava perdido, mas não souberam gerir convenientemente essa frustração, enveredando por diversas entradas despropositadas sobre os jogadores adversários, principalmente sobre os mais jovens, Fábio Cambão, Luis Godinho e Diogo Miranda (todos eles ainda com idade de Sub 20), originando esse facto uma recta final da partida recheada de picardias e com inúmeras sanções disciplinares, entre elas um cartão vermelho ao delegado do Vasco da Gama, por eventuais protestos.
Destaque ainda para o 2º golo da equipa da casa, da autoria do Jovem João Chalupa, na conversão de um LD, para além do LD não convertido pelo ainda mais jovem Diogo Miranda que poderia ter ampliado ainda mais a folgada vitória que a Física muito justamente acabaria por conquistar.

Fonte / Foto – José Carlos Gaspar

workshops para rodapé Noticias VernizGel