a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Resumo da AJ Viana- HC ...

Quinta-feira , Out 22 2020
6

Resumo SC Tomar- UD ...

Quinta-feira , Out 22 2020
28

Placard alarga oferta de ...

Quinta-feira , Out 22 2020
34

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
59525

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
27411

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
21820

Jantar do Centenário do ...

Quinta-feira , Mar 05 2015
1575

Ação de Formação: ...

Sexta-feira , Jun 30 2017
1055

Taça Continental aguarda ...

Segunda-feira , Ago 27 2018
852

Cursos Grupos 2

16837852 1483743061636354 1234470856 n

AE Física D - AJ Salesiana 6-3

No passado sábado, Torres Vedras foi palco de um dos jogos mais aguardados da 15ª jornada do Nacional da 2ª Divisão - Zona Sul, num jogo onde o líder Física, recebia uma Salesiana altamente motivada pela série mais recente de bons resultados (5 vitórias consecutivas para o Campeonato e uma goleada para a Taça de Portugal), que lhe permitiu ascender ao grupo dos terceiros classificados.
Era portanto natural o interesse que rodeava esta partida, entre 2 dos candidatos à subida de divisão.
Mal o jogo se iniciou, deu para perceber que os comandados de Costa Duarte, vinham com claras instruções de pressionarem bem alto a equipa da casa, tentando com essa estratégia, condicionar o 1º momento de construção de jogo ao seu adversário, tentando em simultâneo conquistar a posse de bola em zonas adiantadas que colocassem rapidamente à baliza da Física em perigo.
A bem da verdade, o 1º dos objectivos foi em muitos momentos conseguido, com a Física a denotar dificuldade em sair para o ataque, embora sempre que o conseguia fazer, acabava por criar bastante perigo junto da baliza à guarda de Alexandre “Alex” Ferreira, que neste 1º período foi obrigado a empregar-se a fundo, já o 2º dos objectivos do “canarinhos” não foi quase nunca conseguido, pois a enorme experiencia dos jogadores da Física, principalmente João Lima e Vicente Alves (os 2 condutores de jogo da equipa de André Gil) raramente permitiu aos seus adversários roubos de bola que permitissem aproveitar algum desequilíbrio defensivo momentâneo.
Os minutos foram passando, até que Garrancho (em mais uma tarde de grande eficácia) abriu o activo, na sequencia da marcação de um livre indirecto à entrada da área, em que beneficiando do amontoado de jogadores dentro da área, rematou rasteiro, surpreendendo o jovem Alex pela 1ª vez, quando haviam decorridos cerca de 8 minutos de jogo.
O cariz da partida pouco se alterou, e 5 minutos depois, na conclusão de uma excelente jogada do ataque Torriense, André Gaspar eleva para 2-0.
As substituições começam a operar-se em ambas as equipas, e esse aspecto, na recta final deste 1º tempo, haveria de revelar-se decisivo, pois se no lado da Salesiana, as alterações operadas não acrescentaram muito à dinâmica da equipa, tendo em nosso entender, as mesmas contribuído para desequilibrar um pouco a equipa, já do lado da Física as mesmas resultaram em pleno, particularmente a inclusão de Fábio “Fábinho” Cambão, que com a sua enorme dinâmica contribuiu para que os últimos 5 minutos deste período se transformassem num “pesadelo” para o último reduto dos forasteiros, com Alex ainda a evitar por diversas vezes o golo, com um punhado de excelentes defesas, mas mesmo assim, a não conseguir evitar o avolumar do resultado até ao intervalo, conseguindo a Física em cerca de minuto e meio, marcar por 3 vezes.
1º por Fábinho, que após um fantástico “costa a costa”, simula um passe à entrada da área, desequilibrando o defesa contrário, e já dentro dela, disparou para o 3-0. Poucos instantes depois, é de novo Fábinho, quem isola Garrancho que sozinho na cara do g.redes, eleva para 4-0, quando faltavam cerca de 30 segundos para o términus, tempo ainda para Garrancho se isolar de novo na cara do desamparado Alex, e fazer o seu “hat-trick”, elevando para 5-0, resultado com que se chegou ao intervalo.
16831282 1483743058303021 1634108610 nA 2ª parte inicia-se, com a Salesiana curiosamente a baixar um pouco o seu bloco defensivo, como que a convidar o adversário a balancear-se mais no ataque, algo que a Física aceitou, passando a ter mais tempo de bola no ataque, estando bem perto de dilatar a vantagem, quando Alex, nega o golo a Gaspar, com mais uma excelente defesa, ainda não haviam decorridos 5 minutos deste 2º tempo.
Aos poucos a Salesiana, volta a pressionar mais alto e desta feita, consegue alguns roubos de bola que proporcionaram situações de apuro para a baliza de Ricardo “Gordini” Miranda, ele que depois de uma primeira parte relativamente tranquila, haveria neste 2º tempo, de efectuar uma enorme exibição, voltando a ser decisivo na vitória da sua equipa.
A Salesiana ia crescendo na partida e com um jogo mais directo, com Miguel Mendes (que entrado apenas no 2º tempo, viria a ser decisivo, para a melhoria que a sua equipa registou) e André Ferreira a tentarem de média e longa distância, surpreender “Gordini”, ora de forma directa ou através de uma 2ª bola, tentando aproveitar o posicionamento de Hernâni e André Eduardo, nas imediações da baliza contrária.
Foi já com a Salesiana claramente por cima do jogo, que surge a sua 10ª falta de equipa, com Gaspar a regressar à pista, para tentar converter, mas sem êxito, permitindo defesa a Alex. Seria praticamente na jogada de resposta, que Garrancho vê cartão azul, na sequencia de uma falta sobre André Ferreira, chamado à conversão do respectivo livre directo, Hernâni tb permite defesa a “Gordini”, mas no PWP que se seguiu a Salesiana consegue finalmente reduzir para 5-1, por intermédio de André Ferreira, quando faltavam 15 minutos para o final.
Apesar da desvantagem, a Salesiana dá mostras de acreditar na “remontada” e ainda mais, quando é de novo mostrado cartão azul a um jogador da “casa”, tendo desta vez sido Vicente o admoestado, na sequencia de um derrube a Miguel Mendes, mas uma vez mais a bola parada seria desaproveitada, desta feita por André Eduardo, sendo que o PWP subsequente também seria desaproveitado pelos “canarinhos”.
Seria então, já em 5 para 5, que a Salesiana chegaria de novo ao golo, por Miguel Mendes, na sequencia de uma violenta sticada à entrada da área, fazendo o 5-2.
Entrava-se nos derradeiros 10 minutos de jogo, com os treinadores a fazerem diversas alterações, quando surge nova sanção disciplinar a um jogador da Física, desta feita foi Pedro Lourenço a ser contemplado com o cartão azul. Uma vez mais o consequente livre directo seria desaproveitado, desta feita por Miguel Mendes, com “Gordini” a levar a melhor neste lance, mas instantes depois, a ser de novo desfeiteado pelo jovem “Salesiano”, que com um forte remate de ½ distancia, colocaria o resultado em 5-3, quando ainda faltavam cerca de 7 minutos para serem jogados.
André Gil rapidamente, solicita o seu tempo técnico, serenando de alguma forma a sua equipa, que daí em diante, passou a gerir convenientemente a posse de bola, obrigando os adversários a desgastarem-se e a cometeram faltas, o que os levou a chegar à 15ª, quando já havíamos entrado no último minuto de jogo. Desta feita foi Garrancho quem veio do banco, para com mestria fazer o 6-3 final e obtendo desta feita o seu 2º “poker” consecutivo em jogos do campeonato.
Em resumo, dizer que a vitória se ajusta perfeitamente à Física, pese-embora a excelente reacção protagonizada pelos pupilos de Costa Duarte no 2º tempo, num jogo que contou também com uma excelente arbitragem.

Fotos – Vítor Valente
Fonte- José Carlos Gaspar

workshops para rodapé Noticias ExtensãodeSobrancelha