a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

WSE Continental Cup será ...

Quarta-feira , Ago 10 2022
37

Trio reforça Riba D´Ave ...

Quarta-feira , Ago 10 2022
85

Sistema de Revisão Vídeo ...

Terça-feira , Ago 09 2022
51

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
62202

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
31072

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
25213

Taça CERS: "Hat-trick" ...

Sábado , Abr 30 2016
2183

Seleções Nacionais ...

Quinta-feira , Abr 30 2015
1867

Tomás Castanheira ...

Terça-feira , Jun 07 2016
2262

Curso Unhas de Gel Profissional 25h ed

PEdroGoncalvesParedeFC1244t65

O Parede FC termina esta temporada com o encontro frente ao Alenquer, tendo feito a antevisão do encontro na sua Página Oficial Facebook com Pedro Gonçalves, treinador da equipa sénior do PFC.  

«Na entrada para a última jornada do campeonato, estivemos à conversa com o líder da equipa SÉNIOR, Pedro Gonçalves. Em cinco questões, o mister falou-nos do desempenho da equipa na 2ª Divisão (conseguindo o 7º lugar), a situação dos jogadores do plantel e abordou ainda o jogo de sábado frente ao Alenquer.

Vamos para a última jornada do campeonato. Como é que avalias o desempenho da equipa?
Não podemos ser incoerentes. Impusemo-nos na 2ª Divisão de uma forma surpreendente para muitas pessoas e, a partir de certo momento, achámos que podíamos acabar o campeonato nos cinco primeiros lugares. Definimos esse objectivo e é certo que não o atingimos. Mas não deixa de ser uma época em que o Parede FC se afirmou na 2ª Divisão e mostrou que veio para ficar e para crescer ainda mais. A manutenção não foi, de todo, o ponto alto. Nem sequer pensámos muito nisso. Houve vários pontos altos, mas também houve alguns pontos baixos que nos marcaram e que nos vão fazer crescer. Chegámos pelo segundo ano consecutivo aos quartos de final da Taça e falhámos a Final Four por um golo de ouro que não vamos esquecer. Ainda assim, estou confiante em relação ao futuro.

Durante algum tempo o Parede FC esteve envolvido na luta pela subida. O que é que faltou para continuar nessa luta até ao fim?
Faltou consistência. Estamos a crescer e num campeonato tão longo e tão intenso tem de haver uma consistência maior de comportamentos e de processos. Ainda assim, estou minimamente feliz com o desempenho global da equipa e bastante orgulhoso do nível de exigência a que os jogadores aceitaram submeter-se. Acabam esta época jogadores mais esclarecidos, mais cientes daquilo que têm de fazer e acho que estamos todos de consciência tranquila. Não podemos saltar etapas e temos de ter consciência de que este é um processo longo.

O Parede FC recebe o Alenquer na última jornada. A situação classificativa do Parede está fechada e, seja qual for o resultado, a equipa já não sai de um honroso 7º lugar. Já o Alenquer precisa de vencer para garantir a manutenção. De que forma vai isto influenciar o jogo?
Não me interessa minimamente o que é que envolve a luta pela manutenção. Se tivemos o mérito de não estarmos envolvidos nessa luta, não vamos agora estar preocupados com isso. É um jogo que queremos ganhar, para acabar esta época da melhor forma e agradecer aos adeptos mais uma temporada de muito apoio e de muita devoção a esta camisola. Estamos a jogar em casa e queremos recuperar o excelente registo que tivemos no Fernando Lopes Graça até à recta final da época. O Alenquer é uma equipa com uma enorme rigidez táctica e só ganharemos se estivermos totalmente concentrados e respeitarmos a abordagem que construirmos.

Com a situação classificativa resolvida, é tempo de dar minutos aos jogadores menos utilizados?
No Parede ninguém dá nada a ninguém. Os minutos que os jogadores têm saem-lhes do corpo e da concentração que demonstram ter a trabalhar. É verdade que temos uma rotatividade grande do plantel durante os jogos, mas isso só é possível porque o plantel é homogéneo e os jogadores sabem comportar-se enquanto equipa e sabem o papel que têm dentro do campo ou fora dele. Têm um nível de compromisso gigante: não faltam, dão tudo o que têm nos treinos e esforçam-se para se superarem. Não me entra na cabeça a ideia de "gerir" só por gerir. Só porque sabemos que a nossa posição na tabela já não vai mudar ou só porque é o último jogo. Vão estar lá dentro os jogadores que esta semana demonstraram estar melhores para garantirem uma vitória.

Que mensagem deixas aos adeptos depois da tua sexta época ao serviço do clube?
Os adeptos foram importantes e mesmo marcantes em alguns momentos. Claro que os jogos de maior cartaz chamaram mais adeptos e foi nessas alturas que nos sentimos mais ligados a eles. Mas temos dezenas de adeptos que são muito fiéis e que não faltam aos jogos da equipa. Claro que queremos sempre encher mais a bancada e continuamos a trabalhar essa parte mais comunitária e familiar do clube. Agradeço profundamente a todos aqueles que nos foram apoiando ao longo da época e houve jogos que não tínhamos vencido sem eles. Agradeço essencialmente em nome dos jogadores, que tudo fazem por este clube e que tantos momentos de felicidade e de cumplicidade proporcionam às nossas camadas jovens. Continuamos a ser uma equipa ligada ao resto do clube e isso é importantíssimo. Na próxima época, gostava que as enchentes fossem uma constante. Que os nossos adversários soubessem que o ambiente no Fernando Lopes Graça é um factor a ter em conta. Um ambiente positivo e que raramente procura criar opressão como eu tanto vi esta época em outros pavilhões.»

Fonte / Foto – facebook do Parede FC

workshops para rodapé Noticias AutoEpilação