a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

A lei do mais forte ...

Sábado , Jan 22 2022
1

2.ª Sul- Muches e ...

Sábado , Jan 22 2022
0

TP- Oeiras segue para os ...

Sábado , Jan 22 2022
11

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
61635

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
30158

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
24454

CN Sub-20- Zona Sul- 2.ª ...

Segunda-feira , Mai 11 2015
1428

Paulo Pereira- “A nossa ...

Terça-feira , Mar 13 2018
1343

16ª convocatória da AP ...

Sexta-feira , Mar 02 2018
968

3 Cabeleireiro Inicial

Terronia

cabest arg

O treinador do FC Porto mostrou confiança na conquista da Taça Intercontinental, que leva os dragões à Argentina, mas refere dificuldades com a viagem e fuso horário

"Estamos bem e vamos viajar para a Argentina com a sensação de que a equipa está num bom momento. E sabendo que estamos a jogar bem é óbvio que vamos para esta competição para ganhar e para tentar trazer um título internacional, que tanto queremos", começou por afirmar Guillem Cabestany, na antevisão à Taça intercontinental, que o FC Porto disputa pela primeira vez.
A equipa, que partiu esta terça-feira, para San Juan, na Argentina, enfrenta dificuldades inerentes à viagem e que o técnico não escondeu: "Sabemos as dificuldades que tem esta competição, não só ao nível dos adversários mas da própria viagem, dos horários, do rinque, das condições climatéricas, etc. Esse impacto vai ter alguma dimensão para nós, ao contrário do que acontece com o Murialdo. Mas estamos a fazer tudo para preparar da melhor forma esta participação na prova. O nosso adversário no primeiro jogo não tem este handicap, então eles vão estar muito mais adaptados ao fuso horário, à pista, às condições climatéricas que também serão muito diferentes das nossas. Para nós é um impacto que vai ter alguma repercussão. Temos que estar alerta e ter consciência que existem estes fatores que nos podem dificultar a vida."
Apesar de todos os alertas, Guillem Cabestany reforçou: "Não vamos para a Argentina a sentir que somos inferiores a alguém. Vamos com a ambição que sempre temos e com a vontade de ganhar para já o primeiro jogo e depois uma final que esperemos jogar."

Fonte/Foto- Jornal “O Jogo”