a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Benfica arranca com ...

Domingo , Out 13 2019
23

2.ª Sul- SC Tomar começa ...

Domingo , Out 13 2019
249

"Os meus jogadores foram ...

Domingo , Out 13 2019
196

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
57376

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
25316

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
20206

Antevisões Taça do Minho ...

Quinta-feira , Mai 07 2015
996

Veja as reportagens ...

Terça-feira , Jan 12 2016
1102

Quim Pauls tem novo ...

Sexta-feira , Fev 10 2017
1043

interioresinteriores

67622453 2428896510726835 7776782521341050880 n

José Querido é um nome incontornável do hóquei em patins e há pouco mais de uma semana alcançou o terceiro lugar no Campeonato do Mundo realizado em Barcelona ao leme da selecção feminina do Chile.

O barcelense, de 57 anos, conquistou a medalha de bronze no mítico Palau Blaugrana após triunfo sobre a Itália – perdeu nas meias frente à Argentina nas grandes penalidades– e ainda com o divisa ao peito conversou em exclusivo com o Barcelos Popular.

Querido assumiu que está na altura de pensar em regressar de vez a Portugal, deixando para trás o projecto no Chile onde orienta todos os escalões do Vilanova

  

Sobre o Mundial, o antigo atleta e treinador do Óquei de Barcelos, tendo também orientado a selecção das quinas e, além fronteiras, com passagem por Espanha e França, sente-se realizado e “extremamente satisfeito com o trabalho e o empenho das minhas meninas ao longo de todo o Mundial. Esta selecção tem quatro jogadoras de 17 anos e uma média de idades de 19, o que pode dar muitas alegrias aos chilenos nos próximos anos. Para isso terão de ser apoiadas e, para quem não sabe, neste momento há no Chile uma qualidade muito boa de jogadoras e o hóquei está a crescer”.

Sobre o futuro não sabe se vai continuar: “A experiência foi para este Mundial e sei que a Federação do Chile está interessada que continue mas tenho que ter em conta muitas coisas, como a minha família e o meu Portugal. Não sei se vou continuar.

Estou cansado de estar fora do meu país. Também me dói. Fora tudo isso, se o projecto continuar, tenho a certeza absoluta que o Chile será um forte candidato a vencer o campeonato do mundo na Argentina”.

Sempre atento ao que se passa com a modalidade, José Querido sente que a mesma poderá passar por algumas dificuldades nos mais jovens em Portugal: 

“Sou um apaixonado do hóquei como toda a gente sabe, vou para todo o lado atrás da modalidade e chega-se a uma determinada idade que já se começa a ficar cansado e saturado de algumas coisas e de as pessoas não darem valor ao que se faz. 

Mas também não estou preocupado que as pessoas me valorizem mais daquilo que sou, quero apenas que valorizem o meu trabalho. 

Vejo actualmente tantas coisas a acontecer no hóquei em patins que fico perplexo. Não consigo entender”.

Mas refere-se em Portugal, perguntámos nós...?

“Sim, em Portugal. Apesar de sermos o melhor campeonato do mundo, espero que fruto de algumas situações o hóquei em Portugal não venha a padecer mais tarde. É muito bom o investimento que os clubes estão a fazer nos atletas estrangeiros mas não podemos descuidar a nossa formação, miúdos que trabalham diariamente para chegarem aos seniores e depois não conseguem e muitas vezes abandonam a modalidade. 

Conheço muitos que já deixaram pois dizem que não vale a pena pois os lugares estão tapados. Quem anda no hóquei em patins sabe que a realidade é essa. 

Vejam. Portugal tinha sido campeão do mundo e europeu sub-20 nos últimos anos e desta vez não ganhámos. 

Esta fornada de jogadores não consegue jogar nas equipas da primeira divisão e isso pode ser fatal daqui a alguns tempos. É certo que em Portugal temos muita qualidade e malta jovem mas temos que estar atentos pois as idades passam e os ciclos bastante perigosos. 

Tem que ser feito algo. Por acaso até tenho muitas ideias na cabeça mas não vale a pena estar agora a estender-me”. 

A finalizar, José Querido confirmou em Barcelona que Barcelos é a Catedral do hóquei e mais nada. Toda a gente sabe conhece Barcelos. Enche-me de orgulho ver em Espanha tantos representantes da minha terra, da cidade onde nasci, cresci e desde os quatro anos ando no hóquei em patins. Fico sempre orgulhoso de Barcelos que merece tudo, onde está e muito mais”

Fonte: Jornal Barcelos Popular

Foto: António Lopes AL 

fotografia