a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Juan Lopez será reforço ...

Domingo , Mai 31 2020
5

Duas Caras novas e uma ...

Domingo , Mai 31 2020
147

Paolo Dias vai reforçar ...

Sábado , Mai 30 2020
200

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
58777

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
26629

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
21236

Veja as Entrevistas do ...

Sábado , Mai 02 2015
1144

3.ª D – No dérbi do ...

Segunda-feira , Fev 02 2015
1414

3.ª Jornada da Taça ...

Sexta-feira , Set 11 2015
1304

pluri unhas J

rventura1

Reinaldo Ventura, jogador português de hóquei em patins dos italianos do Trissino, não vai sair de Itália enquanto a situação da COVID-19 não estiver resolvida, mesmo que a federação decida terminar já o campeonato.
Em declarações à agência Lusa, o internacional português, que está há mais de um mês de quarentena em Itália, explicou que não há ainda qualquer decisão oficial da federação para que os campeonatos terminem já. Mesmo assim, e caso venha a ser anunciada essa decisão, Reinaldo Ventura apenas vai regressar a Portugal quando houver "condições de segurança para transportar a família".
"Ainda não nos disseram nada sobre o fim da época. Vamos aguardar o que vai acontecer. Se a decisão for essa, eu vou continuar aqui até que seja seguro sair. Não vou pegar nos meus filhos e na minha mulher e fazer uma viagem de carro, cheio de incertezas e sem saber se passamos na próxima fronteira. Não vou sair daqui enquanto não houver condições. Não arrisco", explicou o jogador.
Reinaldo Ventura referiu ainda que já ouviu histórias de companheiros de outras equipas que estão a tentar regressar aos respetivos países, uma atitude que acredita ser "de grande risco".
"A situação está tão complicada, que só o simples facto de sair de casa corresponde um grande risco. Entendo que existam jogadores que querem sair daqui e regressar para junto das suas famílias. Mas esta não é a altura. É muito perigoso", admitiu.
O jogador português tenta manter alguma 'normalidade' no dia-a-dia e da família, apesar de estar há mais de um mês em casa.
"Quero que os meus filhos tenham consciência do momento que estamos a viver, mas, mesmo assim, também quero que se mantenham serenos. O meu filho mais velho está a ter aulas online, e isso ajuda muito. O mais pequeno só quer brincadeira e eu acompanho-o", rematou.

Fonte / Foto- www.sapo.pt 

4 Quinta