a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Divisão de pontos no ...

Quinta-feira , Out 06 2022
2

Divisão de pontos no ...

Quinta-feira , Out 06 2022
2

Liga Placard- Resumo ...

Quinta-feira , Out 06 2022
0

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
62504

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
31372

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
25399

Cartaz da Final Four da ...

Quinta-feira , Mai 31 2018
1357

2.ª Divisão Norte já ...

Terça-feira , Out 06 2015
1778

Genève e Basel medem ...

Quarta-feira , Fev 18 2015
1904

1 9 Cabeleireiro unissexo 3 Outubro

ppereira

Paulo Pereira, treinador da Oliveirense, reconheceu que equipa podia ter feito mais, lembrou lesões e abordou a derrota com Benfica na Taça 1947 que valeu críticas aos árbitros.

A Oliveirense, um dos cinco candidatos ao título, acabou a primeira volta do campeonato no terceiro lugar, atrás de Sporting e Benfica, com 12 pontos perdidos. Paulo Pereira, o treinador que esta época assumiu o comando técnico da equipa de Oliveira de Azeméis, analisou a temporada quando esta vai a meio e não teve ainda provas europeias, devido à pandemia.

"Esta primeira volta está um pouco aquém do que pretendíamos, mas não vamos baixar a guarda. A nossa equipa mudou de treinador, está em adaptação e tenho a certeza que na segunda volta vamos estar mais fortes", referiu Paulo Pereira, realçando: "Não foi uma primeira volta má, apesar de sabermos que podíamos ter feito melhor, nunca esquecendo que haverá um play-off, esse sim decisivo e temos de lá chegar com a melhor classificação possível, para aumentarmos as nossas hipóteses."

O técnico, que não gosta de play-off, anotou: "Entendo a ideia, mas não sou a favor. Tem de ser campeão quem for melhor em 26 jogos. No ano em que o Valongo foi campeão [ndr: Paulo Pereira era o treinador], dificilmente o seria se houvesse play-off, porque não ganharia cinco vezes ao FC Porto. Dito isto, é o play-off que temos e vamos estar preparados."

Esta época, a Oliveirense passou por "alguns condicionamentos", como sublinhou o treinador, porque "começou com jogadores inibidos de jogar por castigo, e depois surgiram as lesões de Bargalló, que partiu um dedo, de Ferruccio, que se magoou num ombro, e de Nelson Filipe, que esteve quatro semanas parado com uma lesão nos gémeos."A equipa de Paulo Pereira está na luta e, para já, deixou fugir um troféu, a Taça 1947, da qual saiu nas meias-finais, com uma derrota frente ao Benfica e que terminou com um comunicado crítico à arbitragem. Paulo Pereira comentou: "Todos erramos, mas acho que deviam dar ferramentas aos árbitros para os ajudar a errar menos, com recurso a tecnologia, por exemplo. É que a bola entrou, todos viram, menos o árbitro que está em cima do lance."

Segue-se novo objetivo, a Liga Europeia, ainda sem calendário: "Quando houver luz verde, vamos ver como a podemos jogar, porque não haverá muito tempo e ela não pode bater no play-off."

"Adiamentos? Está uma confusão"
A primeira volta do campeonato tem sete jogos adiados, devido à pandemia (Oliveirense é uma das poucas equipas sem registo de casos de covid-19), um deles o FC Porto-Oliveirense, que deveria ter sido realizado logo após a derrota dos oliveirenses na receção ao Barcelos. "Está uma confusão, há jogos adiados ainda sem data, parece que é feito consoante dá mais jeito a uns. Nós vamos começar a segunda volta sem saber quando vamos jogar no Dragão. Isto beneficia uns e prejudica outros, mas é com isto que temos de conviver", afirmou Paulo Pereira, assumindo: "Eu quero sempre fazer os jogos, não quero jogos adiados. Depois de uma derrota, nada melhor do que jogar para esquecer e ir atrás de nova vitória."

Fonmte- Jornal “O Jogo” * Foto- Tony Dias/Global Imagens

calendario Pluriform 4