rares

Ricardo Ares foi a voz da revolta azul e branca no rescaldo do jogo da vergonha em Barcelos
Não me lembro de algum dia ter visto uma arbitragem assim”. As palavras são de Ricardo Ares - antigo selecionador espanhol de hóquei em patins, agora treinador do FC Porto - e retratam bem a gravidade dos acontecimentos vividos esta tarde em Barcelos. Vítima de um rol de decisões inacreditáveis em prejuízo da sua equipa, o técnico basco relata que “os jogadores sentem-se roubados” pela dupla de juízes num conjunto de “lances demasiado evidentes” que acabam por ser o que “dá a vitória” à formação da casa.

A agressão de que Carlo Di Benedetto foi alvo - “uma stickada nos dois braços”, como descreve Ares - e o cómico-trágico final da partida deixam no ar “a sensação de que não querem que o FC Porto ganhe”. Mesmo assim, promete o técnico portista, os Dragões vão “continuar a lutar” e “a ganhar contra todas as adversidades” que possam vir a surgir.

Grupo de trabalho espoliado
Os jogadores sentem-se roubados, porque foi isso que aconteceu hoje. Estava em jogo o trabalho diário de muitas pessoas. Tenho que dar os parabéns aos meus atletas, porque trabalhámos para que não fossem atingidas as dez faltas e para não oferecermos bolas paradas ao adversário. Conseguimos fazê-lo, mas recebemos cinco bolas paradas. Estamos tristes, porque hoje não quiseram que o FC Porto ganhasse.”

Uma série de decisões inenarráveis
Não me lembro de algum dia ter visto uma arbitragem assim. Houve vários lances demasiado evidentes. Sobretudo um em que o Carlo Di Benedetto entra na área contrária e um jogador adversário (Alvarinho) atinge-o nos dois braços com uma stickada à altura da cintura. Era lance para penálti e cartão azul, obrigatoriamente, mas não assinalaram nada. No último lance, que dá a vitória ao Óquei de Barcelos, as imagens demonstram claramente que o nosso jogador (Gonçalo Alves) não chega a tocar num adversário que se atira ao chão de forma evidente. É isso que dá a vitória. Com dois árbitros é inacreditável que não se vejam estas ações.”

Contra tudo e contra todos, como sempre
Dá a sensação de que não querem que o FC Porto ganhe. Mas, mesmo assim, vamos continuar a lutar. Vamos continuar a ganhar contra isso e contra todas as adversidades que nos aparecerem pela frente.

Fonte- FC Porto

5 assagista Essencial