a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Bernardo Ramalho reforça ...

Segunda-feira , Jul 04 2022
58

Termas OC com 3 reforços

Segunda-feira , Jul 04 2022
97

Francisco Beirante é ...

Segunda-feira , Jul 04 2022
65

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
62103

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
30893

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
25046

Bruno Moreira de saída ...

Quarta-feira , Jun 01 2016
4130

AP Porto em análise ao ...

Terça-feira , Abr 11 2017
2105

Boletim electrónico ...

Quarta-feira , Set 21 2016
1918

massagista inicial

 

nicolia thumbnailsO SL Benfica recebeu este domingo no “Fidelidade” o FC Porto referente ao segundo jogo do play-off da final do nacional da 1.ª divisão e venceu por 3-0 empatando assim a contenda (depois da derrota no primeiro jogo no Dragão Arena por 5-0).

Bancadas da Luz praticamente cheias para receberem mais um clássico da modalidade entre encarnados e dragões.
A equipa da casa entrou a todo o gás, com vários remates na direção da baliza portista negados por Xavi Malián. O Benfica exercia pressão mais alta na pista, o FC Porto jogava com as linhas mais recuadas, tentando surpreender em transições.

Com o passar dos minutos, os azuis e brancos conseguiram equilibrar a posse de bola, acercaram-se com mais perigo da baliza do Benfica, obrigando Pedro Henriques a aplicar-se. Jogo de parada-resposta, com as águias a saírem várias vezes em transição e com perigo em direção à área azul e branca.

Só faltava o golo e este apareceu aos 13' e para os da Luz. Primeiro remate defendido por Xavi Malián, e Carlos Nicolía, na recarga, quase sem ângulo, atirou para o 1-0. A perder, o FC Porto aumentou a pressão e optou por ataques mais rápidos; o Benfica, por outro lado, temporizava mais e apostava no ataque organizado.

Os momentos mais emocionantes da 1.ª parte do clássico estavam guardados para o derradeiro minuto. Benfica e FC Porto atingiram a 10.ª falta, mas os respetivos livres diretos foram travados pelos guarda-redes Pedro Henriques e Xavi Malián. Antes do intervalo, as águias tiveram uma grande penalidade a favor por falta de Gonçalo Alves, mas Carlos Nicolía desperdiçou. Na sequência do lance, Pol Manrubia rematou, Xavi Malián defendeu e, na recarga, Lucas Ordoñez fez o 2-0 com que se chegou ao intervalo.

O segundo tempo arrancou com um ritmo alto, mas com menos oportunidades de parte a parte. Benfica compacto a defender e os portistas a terem mais iniciativa, muita dela concedida pelos encarnados. Num lance de bem defender, Lucas Ordoñez recuperou a bola, saiu em contra-ataque, combinou com Carlos Nicolía e atirou a contar para o 3-0 (32'). O Pavilhão Fidelidade fervia e ainda mais efervesceu aos 35' quando Pedro Henriques negou os intentos de Gonçalo Alves numa grande penalidade por falta de Poka.

O Benfica geria bem a vantagem no resultado, colecionava algumas oportunidades perigosas, algumas em "dois contra zero" negadas por Xavi Malián. Na hora de defender contava com um Pedro Henriques gigante entre os postes. Aos 42', nova grande penalidade para os dragões e Pedro Henriques a ser superlativo. Primeiro defendeu o tiro de Gonçalo Alves e na recarga negou os festejos a Carlo Di Benedetto.

O resultado de 3-0 manteve-se até ao apito final. A final do play-off do Campeonato Nacional está empatada (1-1). O jogo 3 tem lugar no Dragão Arena na quarta-feira, 22 de junho.

Fonte/Foto- SL Benfica

quiromassagem2