a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Protocolo do Sistema de ...

Quinta-feira , Ago 11 2022
58

Calendário da Elite Cup ...

Quinta-feira , Ago 11 2022
86

WSE Continental Cup será ...

Quarta-feira , Ago 10 2022
66

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
62220

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
31085

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
25230

Tomás Castanheira ...

Terça-feira , Jun 07 2016
2267

Convocatória Seleção ...

Quarta-feira , Abr 05 2017
1481

Final4 Taça Portugal ...

Sábado , Jun 03 2017
1813

Curso Unhas de Gel Profissional 25h ed

Hoquei em Patins Sporting Paulo Freitas Matias Platero Joao Souto Verona Henrique Magalhaes

Tal como o Leonino avançou em primeira mão a 14 de junho, foi o vogal da Direção leonina que liderou o processo de saída do técnico: “Não foram corretos comigo", afirmou Paulo Freitas

Paulo Freitas, antigo técnico de hóquei em patins do Sporting, concedeu uma entrevista ao Jornal ‘A Bola’, esta terça-feira, dia 2 de julho. O agora ex-treinador dos leões, depois de ter colocado o nome do Clube de Alvalade no topo europeu da modalidade, vencendo Liga Europeia e Taça Continental em duas ocasiões, criticou Miguel Afonso, vogal da Direção para as modalidades, responsável pela sua saída do Clube leonino.

O técnico afirmou não ter sido tratado com o respeito merecido na hora da despedida. “A vida é feita de ciclos e as pessoas são livres de escolher. Se me pergunta se sinto alguma tristeza, é evidente, mas foi pensado que a melhor solução para o hóquei em patins do Sporting seria a partida do treinador. A forma como foi feita é outra coisa”, disse não escondendo alguma mágoa pela forma como todo o processo se desenrolou.

“Tinha um contrato que terminava em 2022 e, nessa altura, quando me deram um novo para assinar, apercebi-me de uma cláusula de opção. Foi-me dito ‘é pá assine isso, não há qualquer problema, porque no fim terminamos ou fazemos novo contrato’. Assinei normalmente. Em janeiro deste ano, essa cláusula foi acionada verbalmente. E em fevereiro, foi-me dito claramente que aquela cláusula de opção não seria acionada e que me seria apresentada a renovação do contrato. E fiquei tranquilamente à espera. Mas em maio foi-me comunicado que, afinal, não apresentariam a renovação”, afirmou o ex-técnico dos leões sobre todo o processo atabalhoado, que culminou com a sua saída de Alvalade.

Essa pessoa (Miguel Afonso) teve o cuidado de dizer que não tinha a ver com competência. Mas podíamos ter concluído logo em janeiro que não haveria renovação do contrato e eu podia ter reorganizado a minha vida de outra forma. O modo como as coisas se processaram deixa-me triste”, criticou.

Sobre a saída de Pedro Gil do Clube de Alvalade, Paulo Freitas disse que essa foi uma decisão da responsabilidade de Miguel Afonso. “O responsável pelas modalidades é o doutor Miguel Afonso. Não deveria ser uma situação normal e por isso entendo que algumas coisas têm de ser geridas de forma diferente face à grandeza do clube. Para o bem do Sporting”.

Fonte- leonino.pt * Fotografia – Sporting CP

Curso Cabeleireiro Homens 500h ed