a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Paulo Freitas- “Temos ...

Quarta-feira , Nov 20 2019
112

Bruno Guia- “o nosso ...

Quarta-feira , Nov 20 2019
62

Lucas Ordoñes- “é um ...

Quarta-feira , Nov 20 2019
77

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
57606

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
25529

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
20340

3.ª D- Série C – Um ...

Segunda-feira , Out 17 2016
3649

OC Barcelos “B” recebeu ...

Terça-feira , Nov 24 2015
950

TP- HC Mealhada continua ...

Segunda-feira , Nov 06 2017
655

interioresinteriores

74670624 10219032739557081 4888490621930569728 o

O Oeiras, que jogou em “casa” emprestada, no caso em Paço de Arcos recebeu a AJ Salesiana e não foi além de um empate a 5 bolas descendo assim ao 2.ª lugar da tabela classificativa.
Partida com golos logo nos primeiros minutos, mas onde a formação orientada por Miguel Dantas andou sempre atrás no resultado. A Salesiana inaugurou cedo o marcador, por Diogo Alvez, corria o minuto quatro e no minuto seguinte aumentou para 0-2 por Pedro Amaro na marcação de uma GP.
O Oeiras respondeu quase de seguida já que Diogo Neves com duas seticadas certeiras colocou o placard em 2-2, estavam então decorridos 8 minutos de jogo.
Até ao intervalo várias situações de apuro para os dois lados mas o resultado não se alteraria.
Já na segunda metade e depois de Pedro Amaro ter desperdiçado uma GP, aos 5 minutos, seria André Ferreira no minuto seguinte a fazer o 3-4 numa fase onde a equipa do Oeiras jogava em inferioridade numérica.
E seria novamente a equipa do Estoril a marcar, desta feita por Gonçalo Jorge, de GP, estavam então decorridos 16 minutos.
O Oeiras, a exemplo do que sucedera no primeiro tempo, pouco depois, voltaria a chegar ao empate com golos de Diogo Neves e Gonçalo Suissas.
O ultimo minuto foi intenso e de emoções fortes, já que a Salesiana volta a marcar, mais uma vez de bola parada, no caso de LD, apontado por André Eduardo, mas a resposta do Oeiras foi quase imediata já que poucos segundos depois chegou ao empate por Gonçalo Suissas numa fase em que a equipa forasteira jogava com menos um jogador.
Resultado que acaba por ser o mal menor entre duas equipas que por aquilo que fizeram nos cinquenta minutos do jogo não mereciam o castigo da derrota.

Segunda Feira

74433797 2368509013414143 1783646084908711936 o

A equipa “B” da AD Valongo foi até Paços de Ferreira vencer a Juventude Pacense por 6-4, num jogo, equilibrado mas de muitos nervos. A dupla que dirigiu esta partida não teve mãos a medir no que toca a Cartões Azuis (foram 9) e Advertências (que se ficaram apenas pelas 8).
A Juventude Pacense abriu o activo aos seis minutos por Tiago Pimenta, mas até ao intervalo a formação de Valongo conseguiria fazer a reviravolta no marcador (com golos de Diogo Barata e Ruben Pereira, este no ultimo segundo da primeira parte).
A segunda metade acabaria por ser mais truculenta fruto da intensidade do jogo e da entrega dos jogadores em rinque. Muitos nervos à mistura, muito contacto que acabaria por obrigar a dupla de arbitragem a ter que tentar segurar as incidências no encontro.
O Valongo aumenta, aos 4 minutos, para 1-3 por Ruben Pereira, mas o Pacense responde por Vitor Moreira que reduz para 2-3. No entanto a equipa forasteira volta a marcar por Diogo Barata. Até aos 20 minutos duas oportunidades de bola parada para qualquer dos emblemas e seria a formação da casa a reduzir por Bernardo Valinhas, fazendo o 3-4. Mais uma vez veio a resposta do Valongo, agora por Diogo Abreu que colocou o placard em 3-5 que dois minutos depois sofreu alteração com o golo de José Cabral que fazia o 4-5 aos 23 minutos.
Dois longos minutos de “nervos em franja” com a dupla de arbitragem a mostra neste período 5 cartões amarelos e 3 advertências. O golo que selou este encontro surgiu a 1 segundo do términus do jogo, apontado por João Pedro, na marcação de um LD.
Triunfo da AD Valongo “B” que permite à formação orientada por Jorge Vieira manter-se na liderança, repartida com o SC Marinhense, ambas com nove pontos após concluída esta jornada 3.
Na próxima ronda a Juventude Pacense desloca-se ao recinto do CH Carvalhos enquanto a AD Valongo “B” receberá o Escola Livre de Azeméis.

Foto- Juventude Pacense

Segunda Feira

73139172 2523171904435834 3863941583812427776 o

Num dos jogos mais aguardados da 3.ª jornada da zona norte, a Académica de Espinho infligiu a primeira derrota ao CH Carvalhos ao vencer por 6-5 num jogo esteve em suspense até ao ultimo segundo do jogo.
Numa primeira parte com sinal mais do Carvalhos que através de Hugo Barata, o marcador de serviço da equipa de Bruno Gomes, chegou ao intervalo a vencer por 0-3.
A equipa da casa entrou melhor no segundo tempo e aos três minutos reduziu por André PCarlos Saraíva coloca a equipa do Espinho a vencer, pela primeira vez na partida, corria o minuto 14 e no minuto seguinte foi André Pinto a aumentar a diferença ao fazer o 5-3.
Parte final de muitos nervos à mistura com a AA Espinho a ser fustigada com várias admoestações que a fizeram jogar durante alguns minutos em inferioridade numérica, mas ainda assim a entrega dos alvinegros surpreendeu a equipa forasteira que teve algumas oportunidades de bola parada para poder inverter o rumo do marcador, mas a encontrar um Cláudio Bessa em grande que negou três LD à equipa do Carvalhos.
O CH Carvalhos chegaria ao empate com mais dois golos de Hugo Barata, que completava assim uma “manita” neste encontro, no entanto insuficiente para somar pontos, já que Ricardo Ramos faria o 6-5 perto do final e garantia aí a segunda vitória da Académica de Espinho.
Na próxima jornada a AA Espinho defronta a equipa “B” do FC Porto e o CH Carvalhos volta a jogar no seu reduto onde receberá a Juventude Pacense.

Foto- AA Espinho

Segunda Feira

70121614 10214650636241777 2249475321550077952 o

A equipa feminina do Sporting CP visitou o Pavilhão “José Mário Cerejo” e goleou a equipa da UD Vilafranquense por 15-2, em jogo que contou para a 3.ª jornada do campeonato nacional feminino.
Foi chegar, ver e vencer. Ao primeiro minuto já o marcador funcionava para o Sporting CP com Sofia Moncóvio a fazer o 0-1.
Até ao intervalo só deu Sporting CP, com o placard a registar 0-8 quando suou o gong para o intervalo. Ana Catarina Ferreira com um “poker”, Rita Lopes e um “bis” de Tânia Freire, foram as autoras dos restantes golos deste período.
Na segunda parte, o Sporting CP voltou a entrar melhor com Rute Lopes a marcar o 0-9 mas a resposta da equipa da casa não se fez esperar com Irina Melício e Mariana Jesus a fazerem o 2-9.
Minutos depois, Tânia Freire bisou, fazendo o seu “hat trick” na partida e, a seguir, foi Sofia Moncóvio a marcar mais dois tentos e a colocar o marcador em 2-12.
Rita Lopes, a onze minutos do fim, fez mais um para a formação verde e branca e a inevitável Sofia Moncóvio marcou os dois golos que fecharam o placard em 2-15.
Na próxima jornada a realizar no próximo fim de semana o Sporting CP será o anfitrião do APAC Tojal com a UD Vilafranquense a deslocar-se até ao recinto do CA Campo Ourique.

Nos outros jogos desta jornada três, os resultados foram os seguintes:

UDC Nafarros- CR Antes 16-2
AD Sanjoanense – CA Feira 1-0
A Académica Coimbra – C Infante Sagres 6-3
APAC Tojal – AF Arazede 3-1
UD Vilafranquense – Sporting CP 2-13
SL Benfica – CH Carvalhos (disputa-se a 1 de Novembro)

Segunda Feira

42921980 1190242747790159 85021467489599488 n

O OC Barcelos emitiu um Comunicado esta segunda feira, onde manifesta o seu desagrado com as decisões de arbitragem do jogo entre a UD Oliveirense e o OC Barcelos disputado no passado sábado.
Anuncia ainda que irá filmar as partidas do Clube, seja em Barcelos ou fora, onde publicará, sempre que seja motivo para tal, as situações menos claras nas respetivas partidas.
Mas deixamos aqui e na integra o Comunicado da Direção do Óquei Clube de Barcelos:

“COMUNICADO

Na sequência do encontro entre o OCB e a Oliveirense, a contar para a 3ª jornada do campeonato nacional de hóquei em patins da época 2019/20, sobre as decisões/situações de arbitragem, verificadas nessa mesma partida, entende o Óquei Clube de Barcelos SAD informar que:

1. A bem da verdade desportiva, da transparência e, como forma de contribuir para o Hóquei em patins positivo, defendido pelas instâncias, o OCB passará a realizar uma filmagem nos seus jogos, em casa e fora, em todas as jornadas, fazendo de seguida uma apresentação pública dos casos de arbitragem e dos critérios utilizados pelos Árbitros;

2. A anormal quantidade de erros verificados, neste jogo, contra o OCB motiva enorme preocupação, prejudicando-nos pontualmente no campeonato;

3. O OCB continuará a querer contribuir para a promoção do Hóquei positivo mas não permitirá que, jogo após jogo, o clube venha a ser lesado por critérios dúbios e decisões erradas que coloquem em causa os objectivos do Clube, bem como a sua sobrevivência.

A Direção"

Fonte – HC Barcelos

Segunda Feira

IMG 0060

O GRF Murches somou os primeiros pontos neste campeonato ao ir ao recinto do CA Campo Ourique vencer por 5-4.
Num jogo intenso e de muita luta dentro do rinque, esta partida ficou marcada por 11 bolas paradas, dos quais seis em resultado de cartões azuis, fruto da entrega que os atletas empregaram nos cinquenta minutos deste encontro.
Mais forte e assertiva, em particular no primeiro tempo a equipa de Murches chegou ao intervalo a vencer por 0-3, com destaque para Tomás Cardoso, que foi o marcador de serviço da formação de Cascais, e onde a equipa da casa desperdiçou dois livres directos.
A vencer por 0-3 a equipa forasteira entrou para o segundo período confiante e a gerir a vantagem que dispunha, mantendo-se forte, em particular no seu setor defensivo e a espreitar o contra ataque para ferir de morte o conjunto local. Esse objetivo acabou por dar frutos com Bernardo Pinhal e Gonçalo Fernandes a elevarem o placard para 0-5, estavam então decorridos 8 minutos de jogo.
Com a equipa de Murches a ficar privada de André Raposo (viu dois azuis) e de João Chalupa (por lesão), que limitou as opções a Jorge Silva, a parte final do encontro foi de maior pressão do conjunto de Nuno Henriques que nos últimos 10 minutos conseguiu reduzir para 4-5,com golos de André Lopes (3) e Paulo Tembo, quando faltavam ainda cinco minutos para o terminus do jogo.
Com os nervos à flor da pele, de parte a parte, foi o Murches a ter as melhores oportunidades nesta fase final do encontro, em particular Tomás Cardoso, que viria no entanto a não conseguir concretizar os três livres diretos que dispôs.
Triunfo sofrido mas justo do Murches que soube aproveitar bem o menor desempenho do CACO, em particular no primeiro tempo, e que conseguiu aguentar o “assalto final” da equipa de Campo Ourique, e segurar este triunfo perante uma equipa do seu campeonato.
Na próxima jornada o CA Campo Ourique desloca-se a Alverca com o GRF Murches a receber no seu Pavilhão o S Alenquer B.

Foto- Luísa Robalo

Segunda Feira

1

O SC Tomar foi até ao “Monte Santos” vencer a formação do HC Sintra por 8-6, num jogo onde o destaque, mas pela negativa, vai para a arbitragem, demasiado confrangedora, e que acabou por ser penalizadora para as duas equipas e em particular para o jogo.
Uma partida entre duas formações com objetivos diferentes, com o SC Tomar a fazer valer, nos 50 minutos do jogo, a sua mais valia individual e coletiva, para vencer um Sintra incómodo, sem “medos” frente ao principal candidato à subida de divisão.
Entrou melhor o Sintra que inaugurou cedo o marcador, por Bernardo Maria, com o SC Tomar a reagir de pronto pro “Xanoca”.
Numa fase de grande dinâmica Fábio Quintino volta a colocar o Sintra na frente e mais uma vez a resposta dos ribatejanos a ser célere com João Sardo a fazer o empate. Ainda antes do intervalo seria o Sintra, sempre atento aos erros defensivos dos forasteiros a ganhar vantagem, por Quintino, mas a formação tomarense reagia, mais uma vez conseguindo a remontada ainda antes do intervalo por Ivo Silva e Hernâni Diniz.
Segunda metade com um SC Tomar a mandar no jogo mas a ter pela frente um Sintra a defender bem e a espreitar as oportunidades que o SC Tomar ia permitindo.
Hernâni Diniz aumentou para 3-5, com Tiago Pedro a reduzir pouco depois, fazendo o 4-5.
Período mais fértil em termos de eficácia por parte da formação tomarense que chegou ao 4-7 com golos de Ivo Silva e Paulo Passos, mas mais uma vez o querer e entrega dos pupilos de Ri Mateus a fazer mossa no ultimo reduto leonino, com Bernardo Maria, por duas vezes e na sequência de bolas paradas a reduzir para 6-7, a quatro minutos do términus do jogo.
O golo da tranquilidade par ao SC Tomar apareceu a dois minutos do final apontado pro Paulo Passos de LD, sem que o jogo terminasse sem mais uma excelente oportunidade para a formação da casa, mais uma vez de LD, com o inevitável Bernardo Maria a não conseguir desfeitear Carlos Silva.
Triunfo da equipa mais madura dentro de rinque, perante um Sintra atrevido e sem nada a perder, obrigando o conjunto de Nuno Lopes a não “dormir na parada”, e a cometer erros que foram sempre, ou quase sempre bem aproveitados pelo HC Sintra.
O SC Tomar soma e segue nesta edição do nacional da 2.ª divisão-sul, liderando isolado, com nove pontos, após três rondas.
O HC Sintra ocupa agora o oitavo lugar após este desaire.
Na próxima ronda o SC Tomar recebe no Municipal “Cidade de Tomar” a AD Oeiras, naquele que será o jogo mais mediático da 4.ª jornada, enquanto o HC Sintra desloca-se à Linha, onde defrontará o Parede FC no “Fernando Lopes Graça”.

Foto- Nuno de Sousa

Segunda Feira

75247418 1472131789601252 2006352663330947072 n

Os últimos segundos da partida que opôs a UD Oliveirense e o OC Barcelos, acabariam por ser nefastos para Miguel Rocha, do Barcelos, que sofreu uma lesão num dos dedos da sua mão direita e que vai ditar a paragem deste internacional português por pelo menos 4 semanas.
Uma baixa importante para o conjunto orientado pro Paulo Pereira que neste período, que se prevê de paragem de Miguel Rocha defrontará o CD Paço Arcos, Sporting CP, FC Porto, AD Sanjoanense e ainda o Geneve RHC para a “Europe Cup”.

Fonte/Foto- OC Barcelos

Segunda Feira

scm hac

O Marinhense recebeu este sábado no Pavilhão da Embra o HA Cambra, com a equipa vidreira a vencer por 5-1 e a manter-se assim na liderança da zona norte da 2.ª divisão após 3 jornadas decorridas.
Partida sob o signo do equilíbrio que teve na concretização das bolas paradas, favoráveis ao Marinhense a diferença no final do encontro.
Primeira parte equilibrada com as duas equipas a fazerem sobressair as suas defesas perante aos ataques adversários. O Marinhense inaugurou o marcador por “Nico “ Carmona aos 6 minutos com o Cambra a responder de imediato por intermédio de Miguel Oliveira, que repôs o empate a 1 bola, com o resultado a não sofrer qualquer alteração até ao intervalo, embora fosse o Marinhense a estar mais perto da vantagem, tendo no entanto desperdiçado duas grandes penalidades ao minuto 22.
Seria na segunda parte que tudo mudaria e aí a assertividade dos atletas do Marinhense nas bolas paradas faria toda a diferença.
Gonçalo Domingues aos 5 minutos colocou o Marinhense em vantagem após a marcação de um LD (10.ª falta do HAC), o Cambra desperdiçaria uma GP aos oitos minutos e na resposta Juan Fontan de GP aumentou para 3-1.
O Cambra foi à procura de outro resultado que lhe fosse mais favorável mas acabou por ser traído com os golos de Tomas Korosek (aos 17 e 22 minutos, respetivamente), numa fase do encontro pautado por oportunidades para os dois lados, com Marco Gaspar o guardião do Marinhense, a ser determinante na fase final do encontro, ao defender de forma segura a sua baliza.
Triunfo que se aceita por parte do Marinhense, perante um Cambra abnegado e sempre com os olhos postos na baliza adversária, mas a não conseguir converter de forma conclusiva as boas oportunidades que dispôs.
O SC Marinhense soma assim a sua terceira vitória em outros tantos jogos, liderando, a par da AD Valongo “B” a zona norte da 2.ª divisão. O Cambra após este jogo mantem um ponto na classificação geral.
Na próxima jornada o SC Marinhense desloca-se a Famalicão onde defrontará o Famalicense AC, enquanto o HA Cambra jogará no seu reduto onde terá como adversário o C Infante Sagres.

Segunda Feira

safe image

Luís Madeira, de 52 anos, atleta da equipa de Veteranos do GCC “Os Corujas” faleceu este sábado, na sequência de um ataque cardíaco no decorrer de um jogo de hóquei em patins, inserido no “Torneio Internacional de Coruche” em Masters, e que se estava a realizar no Pavilhão Municipal de Coruche.
A situação aconteceu logo ao início da partida que opunha o “Corujas” ao VAHP. Luís Madeira começou a sentir-se indisposto tendo caído inanimado. As primeiras manobras de reanimação foram feitas por um enfermeiro que se encontrava no local. Os meios de socorro ainda tentaram reverter a situação, mas sem sucesso.

Domingo