a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Hugo Santos cedido à ...

Terça-feira , Dez 10 2019
103

2.ª D- Sul- SC Tomar foi ...

Segunda-feira , Dez 09 2019
81

CN Feminino – Sporting ...

Segunda-feira , Dez 09 2019
87

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
57726

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
25632

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
20405

Hélder Nunes decisivo no ...

Quarta-feira , Abr 06 2016
1545

Torneio de Reis de Sub 15

Sexta-feira , Jan 04 2019
338

Paulo Freitas garante- ...

Domingo , Set 29 2019
147

interioresinteriores

c infante sagres benfica new

A equipa feminina do SL Benfica realizou jornada dupla no passado fim de semana com a equipa de Paulo Almeida a somar triunfos nos jogos realizados.
No Sábado deslocou-se ao Porto onde defrontou a equipa do C Infante Sagres, em jogo que contou para a sexta jornada e que se encontrava em atraso, com o resultado final a cifra-se em 2-8 num jogo com uma primeira parte de domínio encarnado que vencia ao intervalo por 0-7. Segunda metade com a equipa encarnada a baixar o ritmo de jogo com a equipa da casa a vencer neste período por 2-1.
No Domingo a formação encarnada jogou no “Fidelidade” frente ao AF Arazede, em partida da 7.ª ronda, e se o favoritismo já recaia sobre o conjunto da Luz, o jogo esclareceu isso mesmo com o SL Benfica a vencer por esclarecedores 13-0, com o resultado ao intervalo a registar já 7-0.
Após esta jornada o SL Benfica lidera, a par da Académica de Coimbra com 18 pontos, embora com um jogo a menos que a “Briosa” e o Sporting CP segue no 3.º lugar com 15 pontos mas com apenas cinco jogos realizados.

Resultados da 7.ª Jornada

CR Antes – C Académico da Feira 2-12
CH Carvalhos- C Infante Sagres 3-1
SL Benfica – AF Arazede 13-0
AD Sanjoanense – CA Campo Ourique 3-4
Académica Coimbra – UD Vilafranquense 7-3
UDC Nafarros- Sporting CP (disputa-se a 5 /01/2020)

Terça Feira

conduta

Entrou em vigor no passado dia 1 de novembro, o Código de Conduta da Arbitragem. Esta é uma iniciativa que pretende promover uma continuada transparência arbitral, aumentando a clarificação de algumas situações. Simultaneamente, a implementação deste Código de Conduta responde aos desafios do PNED (Plano Nacional de Ética no Desporto).

Pode ler o documento aqui Código de Conduta

Fonte- FPP

 Terça Feira

75439494 10156521623862854 3180193755340734464 o

O SC Marinhense mantem-se de pedra e cal na liderança da zona norte do nacional da 2.ª divisão, após vencer a Académica Coimbra por 7-2 em jogo referente à 6.ª jornada.
A entrar como favorita na partida disputada em Coimbra a formação da cidade vidreira cedo deixou vincado a sua vontade em somar os três pontos em disputa.
Aos 6 minutos inaugurou o marcador por Korosec e no minuto seguinte aumentou para 0-2 por intermédio de Gonçalo Domingues.
A vencer a equipa do Marinhense controlou as incidências do jogo e aos 17 minutos Korosec bisou e colocou o placard em 0-3.
A “Briosa” reagiu com os últimos minutos a serem de maior pendor para a equipa de Coimbra que aos 21 minutos reduziu por Fábio Vieira, de LD e ainda antes do intervalo o mesmo jogador a ter no stick a oportunidade de voltar a faturar, mas a não conseguir desfeitear Marco Gaspar na marcação de um LD.
A Académica entrou disposta a chegar ao empate e aos 6 minutos foi Gonçalo Oliveira a reduzir para 2-3 deixando tudo em aberto para os minutos que ainda faltavam.
Mas Gonçalo Domingues poucos minutos depois colocou balde de água fria na disposição da Académica quando apontou o 2-4 na sequência de um LD.
O mesmo jogador aumentaria o score aos 17 minutos para 2-5 e aos 20 minutos foi “Nico” Carmona bisar, colocando o placard em 2-7 e praticamente a colocar um ponto final nas ambições da “Briosa”.
Triunfo justo de uma equipa que se mostra, para já com andamento muito acima dos demais e vai assim liderando isolada a zona norte, somando 18 pontos em 18 possíveis.
Na próxima jornada a Académica Coimbra volta a jogar no seu reduto, onde recebe a equipa “B” do Valongo, numa partida onde o favoritismo recai sobre os visitantes e o SC Marinhense recebe na Embra o GDC Fânzeres, num jogo onde o conjunto de Nuno Domingues parte como grande favorita a vencer este encontro.

Foto- Facebook da AA Coimbra

Terça Feira

deolho no apito

A FPP publicou as nomeações para as partidas em atraso da 6.ª jornada do Nacional da 1.ª divisão, a disputarem-se esta quarta feira, assim como da partida a realizar esta terça feira referente à 2.ª divisão norte.

Nomeações

Terça Feira

1920hptreinador

A Direção do GD Sesimbra chegou a acordo com Marco Costa para este assumir o cargo de treinador da equipa principal do Clube da vila piscatória, substituindo Hernâni Nunes no cargo.
Marco Costa estava a treinar o GD Fabril, com o Clube do Barreiro a disponibilizar e a colaborar em simultâneo para que o Marco Costa pudesse assumir o comando técnico da equipa sénior do GD Sesimbra.
Recorde-se que Marco Costa, representou o G.D.S. no escalão de iniciados e durante duas épocas no Nacional da 2ª. Divisão.
No comunicado do Clube a Direção para além de agradecer toda a disponibilidade do GD Fabril, deixou uma palavra de agradecimento também “ao Treinador Victor Bento todo o trabalho realizado com dedicação e profissionalismo no hóquei sénior, bem como ao Jorge Coelho pelo apoio prestado”.

Fonte/Foto- GD Sesimbra

Terça Feira

76720900 2848383311858821 2284897329884430336 n

A equipa feminina do Sporting CP recebeu no passado sábado a AD Sanjoanense no “João Rocha” em jogo referente à 6.ª jornada com o triunfo a sorrir às leoas por 11-2.
Jogo onde desde cedo foi a equipa leonina a mandar e embora tenha sido a formação forasteira a inaugurar o marcador, o Sporting CP até ao intervalo faria a reviravolta com as equipas a irem para o descanso com o placard a registar já 4-1.
Segunda metade sempre de sinal mais da formação de Andreia Barata que manteve sempre uma pressão alta e acabou por criar condições para vencer de forma folgada, frente a uma Sanjoanense que como o correr dos minutos foi perdendo gás.
Os golos da equipa sportinguista tiveram a chancela de Ana ferreira (3), Rute Lopes (3), Tânia Freira (2), Rita Lopes, Adriana Costa e Adriana Gutierrez. Do lado da Sanjoanense marcaram Inês Ferreira e Joana Rodrigues

Foto- Leonel Ferreira/ www.hoqueipatins.pt

Segunda Feira

69653800 850828005349129 995074683315421184 n

O Alenquer recebeu e venceu o HC Sintra por 6-1 e mantem-se na mira dos lugares de acesso à subida de divisão.
O Sintra surpreendeu o Alenquer nos primeiros minutos conseguindo mesmo inaugurar o marcador aos 2 minutos por Tomás Silva. Esse tento da formação de Rui Mateus foi um tónico para uma boa exibição do Sintra no primeiro tempo onde conseguiu de forma quase eficiente controlar as ações ofensivas da equipa de Diogo Ganchas, na forma como defendeu e aproveitou os espaços que a defesa do Alenquer proporcionava criando em algumas situações muito perigo para a baliza de Machial.
O Alenquer chegou ao empate aos 21 minutos por “Marinho” com as equipas a recolherem para o merecido descanso em igualdade no marcador.
A segunda metade trouxe uma história diferente. O Alenquer entrou disposto a mudar o rumo dos acontecimentos e no espaço de 2 minutos (entre os 6 e os 8) chegou ao 4-1 com um “bis” de Francisco Contins e um tento de “Marinho”.
A vencer de forma folgada e a justificar no momento essa vantagem o Alenquer não só passou a controlar o jogo como passou também a ser muito mais perigoso nas suas iniciativas atacantes perante um Sintra a mostrar debilidades na sua defesa.
Depois de “Marinho” ter desperdiçado um LD após um Azul mostrado a Nuno Sousa, o mesmo jogador aos 16 minutos assinou o seu “hat trick” e em simultâneo fez o 5-1, que Pedro Lourenço aos 22 minutos desfez ao apontar o 6-1, que acabaria por selar o resultado final deste encontro.
Vitória sem espinhas da formação da Vila Presépio num jogo onde começou melhor o conjunto forasteiro mas com o decorrer do jogo, as mais valias da equipa da casa a fazerem mossa num Sintra abnegado mas sem soluções para manter a mesma toada de jogo.
Após esta jornada o S Alenquer B sobe ao 3.º lugar da tabela classificativa, com 12 pontos e na próxima ronda visita o reduto da AD Oeiras num jogo entre dois “galos” na uta pelo mesmo poleiro.
Quanto ao HC Sintra com este desaire desceu ao 11.º posto, ultrapassado pelo Murches e Grândola mantendo os seis pontos com que chegou a Alenquer e na próxima jornada volta a jogar fora de portas já que defrontará o CA Campo Ourique no recinto destes.

Foto- Nuno de Sousa

Segunda Feira

74495632 1076298156050713 4504942891277221888 o

O GRF Murches a jogar no seu Pavilhão voltou a roubar pontos a um dos candidatos à luta pela subida de divisão.
A equipa orientada por Jorge Silva impos um empate a 6 bolas ao Oeiras num jogo onde ficou claro que até ao “lavar das cestas é Vindima”, com o golo do empate para o Murches a acontecer a poucos segundos do términus do encontro.
Partida onde a AD Oeiras entrava como favorita e na primeira parte, fruto da intensidade que impôs em rinque chegou ao intervalo a vencer por 3-4.
Marcou cedo o Oeiras, aos 3 minutos por Gonçalo Suissas, mas André Raposo empataria logo de seguida. Gonçalo Suissas voltaria a colocar o Oeiras na frente e novamente a resposta da formação de Cascais através de Tomás Cardoso a fazer o empate a 2 bolas.
Mas a pressionar mais e a ser mais perigos a equipa de Miguel Dantas acabaria por chegar ao 2-4 com golos de Gonçalo Suissas, que assinava ao o hat trick no jogo e de Miguel Sardinha. No entanto Bernardo Pinhal a três minutos do intervalo reduziria para 3-4.
Segunda metade com o equilíbrio a ser nota dominante e se nos mintos iniciais foi o Oeiras a ser mais perigoso e que chegaria mesmo ao 3-5, com o golo de Diogo neves, aos poucos o coletivo do Murches foi subindo de rendimento e acab apor chegar ao empate com golos de Bernardo Pinhal e Tomás Cardoso, faltavam então 5 minutos para terminar o encontro.
Nervos e ansiedade dos dois lados, com qualquer dos emblemas a procurar ganhar vantagem e é Miguel Sardinha que aos 24 minutos faz o 4-5 para o Oeiras.
Mas como o jogo só termina quando a mesa apita, o Murches acreditou, e a 10 segundo do final da partida Tomás Cardoso fez o empate a 6 bolas, para gáudio dos simpatizantes do Murches e desespero, naturalmente para a formação que viajou de Oeiras.
Pontos repartidos num jogo onde a formação da AD Oeiras mostrou argumentos para somar os três pontos, mas a ter pela frente uma equipa humilde e que nunca baixou a guarda na procura de um resultado que lhe fosse favorável.
Na próxima jornada o Murches viaja até Sesimbra num jogo onde o conjunto da linha parte como favorita e o Oeiras será anfitrião do S Alenquer B, num jogo que é certamente “cabeça de cartaz” da 7.ª jornada da zona sul da2.ª divisão.

Foto- Facebook do GRF Murches

Segunda Feira

76726987 439947186720127 5048188187579514880 o

Autêntico “abalo” sísmico, foi o que sentiram os tomarenses no passado sábado no confronto com o Candelária.
O SC Tomar sofreu a primeira derrota na temporada ao perder no Municipal de Tomar por 4-2 frente ao Candelária SC, num jogo onde a experiência e sagacidade da formação da Ilha do Pico, somado à ineficácia nas bolas paradas por parte dos tomarenses assim como a falta de discernimento em momentos chave, da equipa de Nuno Lopes, acabou por ditar este triunfo açoriano em terras ribatejanas.
Só com vitórias nas partidas realizadas, o SC Tomar entrava para este encontro com cinco pontos de vantagem para os picarotos. E os primeiros minutos do jogo, aparentemente, davam razão aos números classificativos.
O SC Tomar entrou forte, empurrou o seu adversário para o seu meio rinque e aos 3 minutos beneficiou de um LD. Hernani Dinis chamado a converter permitiu a defesa de Igor Alves mas no minuto seguinte e a jogar em Power Play acabaria mesmo por fazer o 1-0 por Ivo Silva.
Sem levantar o pé do acelerador a equipa verde e branca mostrava argumentos para poder dilatar o marcador que veio mesmo a acontecer aos 8 minutos por Ivo Silva.
O Candelária penava para segurar as pontas na sua defesa e ia valendo a grande exibição de Igor Alves, aliás o melhor jogador em rinque neste encontro, para não sofrer mais golos. Rúben Sousa aos 10 minutos dispõem de um LD mas desperdiça e com o passar dos minutos a formação açoriana foi acertando o passo, embora com um Tomar sempre mais perigoso.
O Candelária aos 15 minutos reduz por Pedro Afonso na marcação de um LD após um Azul mostrado a João Sardo e até ao intervalo é novamente o SC Tomar a ter mais uma soberana oportunidade para marcar, mas o “karma” das bolas paradas, fez-se sentir, com Paulo Passos a não conseguir enganar o guardião picaroto, corria então o minuto 21.
Um inicio de etapa complementar por parte dos leões atípico, com a equipa a mostrar muitas lacunas em termos coletivos foi bem aproveitado pela formação de Pedro Afonso que aos 4 minutos empata a contenda por Alan Fernandes, a aproveitar muito bem a passividade defensiva dos tomarenses.
A equipa tomarense sentiu o toque, e se já não mostrava a mesma atitude que mostrar na primeira parte, aos sete minutos viu o Candelária desperdiçar um LD por Edgar Pereira que no minuto seguinte viu Azul. João Sardo chamado a converter o LD e que poderia colocar a equipa da casa novamente na frente do marcador, desperdiçou a oportunidade e é o Candelária que chega ao 2-3, confirmando a reviravolta no marcador, aos 10 minutos por Pedro Afonso, de LD após a 10.ª falta nabantina.
Até final muito suor dos ribatejanos mas com pouca ou nenhuma objetividade, usando e abusando da meia distância perante um Candelária que agradecia, a defender bem, a dar a iniciativa ao conjunto da casa, e a procurar as transições rápidas para chegar à baliza tomarense.
Pedro Afonso aos 18 minutos dispõem de um LD após um Azul mostrado ao capitão tomarense, Ivo Silva, mas não converte e volta a ser o SC Tomar, quando o Candelária faz a 10.ª falta que pode chegar ao empate, mas Hernâni Diniz, a não conseguir enganar Igor Alves, isto quando faltavam 6 minutos para o términus do jogo.
E o consumar de uma derrota anunciada, na segunda parte, acontece já no decorrer do ultimo minuto do encontro, quando Nuno Lopes, aposta o tudo por tudo e retira o seu guardião, vê João Ramalho fazer o 2-4, numa seticada de “costa a costa”.
Um triunfo saboroso para o Candelária que relança assim o seu objectivo de chegar ao 1.º lugar e fica agora a apenas dois pontos do líder, SC Tomar.
Se, e olhando para o que aconteceu nos cinquenta minutos do jogo, a derrota do SC Tomar pareça penalizadora, o certo também é que estes só se podem queixar de si próprios, já que tiveram o “pássaro na mão” mas deixaram-no fugir, muito por culpa da ineficácia nas bolas paradas, e depois na falta de objetividade no ultimo terço do rinque, mostrando uma ansiedade que a equipa picarota souber ver e aproveitar da melhor maneira e acaba por merecer de forma justa estes três pontos num jogo onde a grande virtude esteve na capacidade de saber defender e anular os momentos mais fortes da formação tomarense.

Foto- João Flores

Segunda Feira

74676994 3255197964552995 2005540957461676032 o

O CD Paço Arcos somou os primeiros pontos na presente época ao vencer em Torres Vedras a AE Física D por 3-0.
Num jogo entre duas formações que entravam nesta 6.ª jornada sem qualquer ponto averbado, era grande a expectativa para ver como reagiriam as duas formações às contingências do próprio jogo e saber qual a que melhor se adaptaria às circunstâncias e incidências da partida.
E ficou claro que a maior maturidade individual do conjunto orientado por Luís Duarte acabaria por ser determinante no decorrer dos cinquenta minutos. Mais assertiva e eficaz a equipa da linha soube tirar partido das bolas paradas, ao invés da Física que nas oportunidades que dispôs não marcou em nenhuma delas.
Duas equipas que entraram receosas, e a respeitarem-se, se calhar até demais, uma à outra foi do CD Paço Arcos a primeira grade oportunidade com Diogo Silva a não conseguir desfeitear “Gordini” na marcação de um LD, corria então o minuto 5. Mas o golo para a equipa da linha surgiria no minuto seguinte por Pedro Batista, de LD após um Azul mostrado a Gaspar, colocando o placard em 0-1.
A AE Física teve que subir as linhas e acaba por ter duas oportunidades de bola parada que são desperdiçadas por Gaspar e Mathías Arnaez. Quem não perdoou foi “Rafa” que já no decorrer do último minuto aumenta para 0-2.
A equipa do Paço Arcos a vencer por 2-0, entrou para a etapa complementar a gerir essa vantagem entregando as despesas do jogo à formação de Torres Vedras e aos 16 minutos volta a ter oportunidade soberana para reduzir, mas mais uma vez “Matraco” a estar imperial na defesa das suas redes defendendo a GP apontada por Fábio Cambão.
Até final, muito acerto defensivo da equipa forasteira que foi anulando as iniciativas atacantes da Física e é mesmo o conjunto da linha que acaba por aumentar o score, no último minuto da partida, golo este apontado por “Rafa” que matava definitivamente qualquer veleidade à equipa de André Gil.
Triunfo da formação mais eficaz, e que soube gerir melhor os nervos num jogo entre aflitos, com o CD Paço Arcos a somar os primeiros pontos numa prova onde a luta pela permanência é e será intensa até final.
Na próxima jornada a AE Física D com jogo deveras difícil, já que viaja até Lisboa, onde enfrentará o Sporting CP no “João Rocha”.
O CD Paço Arcos por sua vez, joga no Casablanca” com a equipa da linha a receber o HC “Tigres”, um jogo onde formações com objetivos semelhantes e que passam pela permanência na prova maior do HP nacional.

Foto- CDPA (arquivo)

Segunda Feira