a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Diogo Dias reforça GD ...

segunda , Dez. 09 2019
55

1.ª D- Sanjoanense vence ...

segunda , Dez. 09 2019
24

1.ª D- OC Barcelos ...

segunda , Dez. 09 2019
33

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
57720

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
25630

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
20403

Campeonato Distrital da ...

segunda , Jan. 18 2016
1383

Nélson Filipe- “Queremos ...

quarta , Nov. 07 2018
462

Os “Pekenos” da ...

sexta , Jan. 02 2015
1931

interioresinteriores

CP Sobreira

O jogo do passado domingo em Fão motivou um comunicado do CP Sobreira onde se queixa da arbitragem do juiz António Teixeira do Minho.
Recorde-se que o HC Fão venceu por 11-10.

COMUNICADO
Lamentar compensa e traz benefícios

"A Casa do Povo de Sobreira vem, através de comunicado, lamentar a arbitragem do passado domingo, 2 de novembro, no jogo HCFão – CPSobreira a contar para 5ª jornada do Campeonato Nacional da 3ª Divisão – Zona Norte.

A arbitragem do Senhor António Teixeira foi deplorável e visou prejudicar de uma forma premeditada e até mesmo vingativa a equipa da CPSobreira em encontros futuros.

O resultado do jogo não está em causa, nem sofre qualquer reparo, até porque se tratou de um jogo muito bem disputado e com inúmeros golos, não fora o comportamento provocador do senhor António Teixeira durante a partida com especial incisão nos minutos finais do encontro, arriscaríamos a dizer que este jogo foi um “hino” AO Hóquei em Patins.

Com o resultado empatado em 10 a 10, o senhor António Teixeira, após uma falta sofrida pelo jogador da CPSobreira, transformou esta na 15ª falta feita pela equipa da CPSobreira chamou o mesmo e expulsou de cartão vermelho direto sem qualquer razão aparente e no mesmo lance quando um outro jogador da CPSobreira falava com o seu treinador recebeu também ele ordem de expulsão. No meio das expulsões o capitão da CPSobreira dirigiu-se ao Senhor António Teixeira e de forma educada questionou o que se tinha passado, estando o senhor árbitro em completa exaltação vociferando “Quem é o próximo? Quem é o próximo a ser expulso?”.

Coincidência ou não, já na época passada, o mesmo árbitro, no jogo CP Sobreira – Riba D’Ave teve o mesmo comportamento no Pavilhão Ernesto Silva com danos para a equipa da CPSobreira. Curiosamente, o adversário que se seguiu na época passada é o mesmo da próxima jornada.

Assim, é fácil assumir uma subida de divisão, não é preciso ganhar todos os jogos, basta apenas desfalcar os adversários.

São comportamentos destes que denigrem verdadeiramente o Hóquei em Patins e a arbitragem, mas o dedo é apontado sempre aos mesmos, aos clubes e aos adeptos. Sendo esta uma competição nacional, não consegue a Casa do Povo de Sobreira compreender que a 3ª divisão tenha passado para os domingos com o objetivo de reduzir custos e garantir os melhores árbitros, e depois não se tenha esses mesmos árbitros a apitar os jogos.

Desta forma, a Casa do Povo de Sobreira fará uma exposição ao Conselho Nacional de Arbitragem sobre os fatos ocorridos no jogo HCFão – CPSobreira onde solicitará que o senhor António Teixeira não volte a apitar mais nenhum jogo onde participe a Casa do Povo de Sobreira.

A partir deste momento, o Senhor António Teixiera é “persona non grata” na Sobreira e receberá o mesmo tratamento e respeito que tem para com esta Instituição.

A Casa do Povo de Sobreira, face a estes acontecimentos, pressupõe que o Campeonato Nacional da 3ª Divisão Zona Norte terá já o seu destino traçado onde os clubes que se lamentam e se indignam contra as instituições que regulamentam e gerem a modalidade saem beneficiados.

A Casa do Povo de Sobreira termina afirmando que continuará com o seu objetivo intacto, contra tudo e todos, mantém e assume-se como candidata à subida de divisão, assim como continuará à semelhança do que vem fazendo nestes últimos anos e em conjunto com outros agentes desportivos a promover, fomentar e a lutar pela dignificação da nossa modalidade".

A direção da CP Sobreira