a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

CNF- Leoas carimbam ...

segunda , Jun. 14 2021
11

Sanjoanense tem cinco ...

segunda , Jun. 14 2021
848

Cabestany- “A final do ...

segunda , Jun. 14 2021
72

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
60359

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
28383

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
22734

“Alengarve” vencem ...

domingo , Jul. 26 2015
2046

Giulio Cocco- “Sempre ...

sexta , Mar. 23 2018
1088

Convocatória Seleção ...

quinta , maio 04 2017
3270

10

 LABIOMEPTestes1

Segundo foi possível apurar, no sítio informacao.canalsuperior.pt, um grupo de investigadores do Laboratório de Biomédica da Universidade do Porto está a desenvolver capacetes seguros para guarda-redes de hóquei em patins, procurando dar resposta a uma questão tão sensível e da qual se tem falado nos últimos tempos, sendo o próximo passo, encontrar um fabricante nacional.
Para evitar acidentes provocados pela bola durante um jogo de hóquei em patins, uma equipa do LABIOMEP está a desenvolver um capacete para melhor proteger os guarda-redes da modalidade.
O projeto de Mário Vaz e Nuno Viriato começou há três anos com alguns testes com a equipa principal do FC Porto e com a equipa do Clube Infante Sagres. Posteriormente, os investigadores deslocaram-se à Catalunha para avaliar o FC Barcelona, Réus, Pati VIC, Voltrega e Igualada. Em Portugal, tiveram também a colaboração da equipa do Oliveirense de Vasco Vaz, docente da Universidade de Coimbra.
«O principal objetivo consiste em dar visibilidade a uma das modalidades desportivas menos estudadas, o hóquei em patins, e dar a esta modalidade a dignidade que merece sem perder de vista o principal objetivo do INEGI/LABIOMEP que é a transferência de tecnologias e conhecimentos para a indústria», explicou Mário Vaz, ao Canal Superior.
O LABIOMEP recorreu a uma câmara de alta velocidade, a um canhão que dispara várias bolas a diferentes velocidades e a um radar de pistola. Posteriormente, foi criado um desenho a 3D e um modelo numérico.
«Os primeiros trabalhos dirigiram-se aos atletas de campo, procurando medir a velocidade da bola e o desempenho físico dos atletas. Foi nessa fase que foi estudado o remate de ponta e a sua influência na velocidade terminal da bola», refere Mário Vaz.
Edo Bosch, guardião da baliza de hóquei em patins do FC Porto, também se aliou ao projeto e colaborou na «definição da forma interna e externa de um protótipo de um capacete».
Os investigadores procuram agora uma empresa nacional para ajudar a fabricar os capacetes e a chegar ao mercado: «Os contactos já realizados com fabricantes nacionais de capacetes para motociclos ainda não conduziram a nenhum resultado. Contudo, ainda não desistimos», conta o investigador.
Para além do hóquei em patins o LABIOMEP/INEGI tem desenvolvido trabalhos em outras modalidades como a canoagem, andebol, natação ou surf.

Fonte/Foto: informacao.canalsuperior.pt