a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

O “Palácio Riazor” vai ...

quinta , Nov. 14 2019
60

Carlos Nícolia- “temos ...

quinta , Nov. 14 2019
80

AP Setúbal anuncia ...

quinta , Nov. 14 2019
65

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
57556

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
25505

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
20315

Tiago Rafael e a Taça: ...

sábado , Fev. 14 2015
1655

Diário da Seleção por ...

segunda , Jul. 11 2016
893

Sporting CP anunciou ...

segunda , Jul. 01 2019
683

interioresinteriores

11188154 10204030115902235 3321332741740718449 n

Primeiro foi sofrer, lutar, dar o “corpo às balas” como disse Nuno Lopes antes desta final four, e procurar ser feliz.
Conseguiram-no numa final onde os leões se sobrepuseram aos favoritos e garantiram nas luvas de André Girão e nos remates certeiros de “Poka” e Nicolas Fernandez a sua segunda Taça CERS e sexto troféu europeu na modalidade.
A seguir foi a explosão de alegria de uma “tribo” unida e que viu o sonho tornar-se realidade.
E por trás de todo este projecto, melhor dizendo, o mentor deste projecto do HP do Sporting CVP está Gilberto Borges, que viveu como poucos esta epopeia e mereceu receber este final feliz em Igualada. Neste trajecto de mais de uma década, perscindiu de muita coisa em prol do HP leonino e teve na familia o seu grande suporte para os momentos bons e em particular menos bons. A foto é ilucidadita e contemporiza um momento onde se cruza a alegria e a partilha desta conquista.

Se há responsáveis pela conquista da Taça CERS, Gilberto Borges é um deles, mesmo não calçando patins. Começou do zero em 2003. Agora, venceu um título europeu.
É o concretizar de um sonho que me persegue desde o primeiro dia em que aderi ao projecto. Vim para o hóquei para ajudar-me a recuperar de um enfarte e hoje tenho um coração que aguenta tudo, inclusive sou eu quem acalmo os mais emocionados. Tinha dito que iríamos fazer um grande ’31’ em Igualada e está cumprido”, avançou.
Na parte dos agradecimentos, grande ênfase para os atletas e família. “Gostava de agradecer à minha família pelo que tem passado para me ajudar. Aos meus filhos sobretudo. Devo dizer que o hóquei deu-me um filho porque a ida para a Casa do Gaiato fez com que a minha família aumentasse. Uma palavra também para todos estes ‘meninos’ que acreditaram, nomeadamente o Ricardo (Figueira) que jogava nos veteranos até lhe fazer o convite para fazer parte do projecto. Hoje mudei o discurso mas de novo pelas melhores razões. Disse-lhe: 'Ricardo, se quiseres rescinde já para saíres em grande' e ele respondeu 'Não, quero ganhar mais títulos'. É este tipo de gente que me interessa ter aqui”, salientou.
Recordando os feitos europeus anteriores, Gilberto diz que vivê-lo enquanto adepto é bem diferente do que passar por eles como dirigente. “Era diferente. Como adepto não ia a todas. E claro que isto também tem algo de mim. São muitas horas aqui. Importa também salientar que esta vitória faz com que o hóquei cimente ainda mais a sua posição no Clube”, referiu.
Quanto à recepção no aeroporto, Gilberto Borges acredita numa boa moldura humana. “Presentear-nos com recepção semelhante às de outrora. Acredito que vá muita gente”, realçou.
Tendo em conta o futuro, o responsável considerou importante este triunfo para traçar objectivos. “É mais uma justificação que temos para subir a qualidade da equipa no próximo ano e passarmos das vitórias ocasionais a regulares. 'Vencer na continuidade' parece-me ser a frase mais adequada", resumiu.

Fonte: www.sporting.pt

Foto: Gilberto Borges