a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Marinhense soma terceiro ...

domingo , Dez. 05 2021
12

Paulo Pereira- “Nunca vi ...

domingo , Dez. 05 2021
20

No Dérbi do Minho o ...

domingo , Dez. 05 2021
13

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
61504

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
29994

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
24270

Francisco Santos reforça ...

sexta , Ago. 17 2018
1370

Ok Liga- Liceo mantem ...

terça , Dez. 26 2017
1186

HC Fão fecha com triunfo ...

domingo , Jun. 03 2018
922

5 Barbeiro Completo

Terronia

CimeiraMundialFIRS

"Decorreu no passado fim-de-semana em Roma, o 1º Congresso Internacional de Hóquei em Patins, dividido em dois dias distintos.
O primeiro dedicado aos treinadores e o segundo para dirigentes, atletas, jornalistas, e outros agentes, com o objetivo de debater os problemas da disciplina. Foi com este espirito que a ANACP participou no Congresso.
No discurso de abertura, o Presidente da FIRS (Federation Internacionale Roller Sports), Sabatino Aracu, focou a sua intervenção, na promoção e angariação de novos países para o Hóquei em Patins, através da convivência dos patins tradicionais de quatro rodas, com a introdução de patins de 3 rodas em linha.
Propôs ainda, aumentar o tamanho das balizas para aumentar o número de golos. Entende a ANACP, que esta tentativa de fusão das disciplinas Hoquei em Patins e Hóquei em Linha, é completamente inadequada. Cada uma deve seguir o seu percurso.
A FIRS prestou um péssimo serviço à disciplina Hóquei em Patins. Permitiu a intervenção de um jornalista italiano, durante uma hora (!), que se focou na Federação italiana e pressionou o Presidente do Comité Europeu a terminar com brevidade. E não foi permitida a intervenção a mais de uma dezena de inscritos, entre estes, a ANACP.
Antecipou o final do Congresso para as 17 horas, quando estava previsto que concluísse às 18 horas.
Além da ANACP, esteve representada a Federação de Patinagem de Portugal, através do Seleccionador Nacional, Professor Luís Sénica, que foi dos poucos que apresentou propostas para melhorar o hóquei em Patins. Foi ainda positivo o realce para a importância de captar um parceiro televisivo mundial de referência.
A ANACP denuncia publicamente, a total falta de confiança em quem dirige mundialmente a disciplina.
A ANACP defenderá, SEMPRE, o crescimento do HÓQUEI EM PATINS.
Aproveitamos para elencar as nossas propostas que poderiam ter sido debatidas no congresso:

1. Escalões de Formação
1.1. Escalões Etários: É urgente que a FIRS defina e crie homogeneidade nos escalões etários, tal como acontece em outras modalidades, a criação de uma grelha única dos escalões de formação é fundamental para o desenvolvimento da modalidade.
Por exemplo: Um atleta de 15 anos deve pertencer ao mesmo escalão seja em Portugal, Espanha, Angola, Argentina.
1.2. Tempo de jogo: Entendemos que o aumento do tempo de jogo é vital para o combate ao abandono precoce de atletas na modalidade. O tempo de jogo dos escalões mais novos é curto até mesmo para uma gestão dos próprios treinadores. Seria também importante que a FIRS estipulasse os tempos de jogos, para que não existisse diferenças nos Países. A nossa sugestão passa pelo aumento do tempo de jogo nos respetivos escalões, a saber:
a. Pré-competição: 4x8min: 32min
b. Sub13 e Sub15: 2x20min: 40 min
c. Sub17: 2x22min: 44min
d. Sub 20 e Sénior: 2x25min

2. Competições Internacionais de Seleções:
A questão que coloco a este painel é talvez das mais controversas, no entanto, não deixo de a colocar para vossa reflexão e aplicação num futuro próximo.
Em primeiro lugar, dar os parabéns pela criação dos Roller Games, um grande evento dedicado às disciplinas de Patinagem que estará ao nível dos Jogos Olímpicos de Inverno.
A sugestão da Associação é perceber a periodicidade de 2 anos e não o ciclo olímpico. Um evento desta natureza acarreta custos quer para quem organiza, quer para as Federações. O modelo atual de 2 em 2 anos, Mundial e Europeu cria dificuldades económicas a algumas federações que, pura e simplesmente, abdicam de participar nas Competições internacionais de seleção, dou o caso do Europeu de 2012 em Paredes com apenas 7 seleções. É preferível, acompanhar o ciclo olímpico, e realizar competições de 2 em 2 anos, ou seja, em 2017 Roller Games, em 2019 Campeonato Europeu e organizar também o equivalente à Copa Latino e Taça Africana.

3. Competições Internacionais, Liga Europeia e Taça Cers:
Eurosport como parceiro: Já existiu alguma abordagem para englobar a Patinagem nas grelhas da Eurosport. Se nunca foi feito a abordagem, este é momento para o fazer.
Apostas On-line: A modalidade só tem a ganhar ao figurar nas casas de apostas.

4. Mediatização e melhoria da comunicação
Vivemos na era do atual, do imediato, na era das redes sociais e na partilha de fotos e de todo o tipo de informação.
Precisamos de acompanhar esta tendência com meios mais atrativos para o público. Neste sentido, algumas sugestões:
4.1. Reformulação da Página Internet da FIRS: é necessário que a página da FIRS seja atrativa, um pouco à imagem dos sites da FIFA e UEFA, com informações detalhadas sobre as equipas e jogadores, informações sobre provas, pontos de contacto locais e documentários sobre patinagem (reportagens sobre equipas, eventos, etc.).
4.2. Gala Anual da FIRS: é necessário criar empatia e promover ao mais alto nível os melhores jogadores. A criação de galardões para reconhecimento dos melhores a nível internacional é algo que devemos criar.
4.3. Intercâmbio de estrelas: Por exemplo: Organizar com os galardoados na gala da FIRS uma semana num país diferente do seu país de origem a trabalhar com as crianças (jogador, treinador, etc) para promover e cativar mais praticantes para a modalidade.
4.4. Diagnóstico Global à Patinagem: É necessário replicar o que estamos aqui a fazer hoje, é necessário que as pessoas que gostam e falam de hóquei em patins saibam que este Congresso existiu. Acredito que poderiam estar aqui muitos mais dirigentes e pessoas aficionadas e ávidas de dar o seu contributo se este Congresso tivesse sido mais divulgado.
Por exemplo, a criação de um diagnóstico global dá a oportunidade para que todos possam contribuir para um documento único do Hóquei em Patins. O que está bem, o que está mal, o que deve ser melhorado, o que deve ser eliminado.
A criação e lançamento de um inquérito on-line, mundial, para aferir as diferentes dificuldades/facilidades/soluções de diferentes Federações e Clubes, com um único objetivo: Partilha de melhores práticas a nível mundial é real aferição de dificuldades comuns.
4.5. Bola de Jogo: Continuo a achar que o hóquei é a única modalidade em que a bola é "monótona" e horrorosa para transmissões televisivas. Somos a única modalidade em que a bola não sofre upgrades. Não existe trabalho nesta área. Tal como outras modalidades, deveríamos ter uma bola oficial para as Competições Internacionais e nacionais e ser renovada ao fim de 4 épocas, acompanhando a lógica do ciclo olímpico. Podem sempre colocar a questão que uma bola de cor amarela ou vermelha não é igual a bola preta.
A Associação já fez o teste: colocou vários jogadores com os olhos tapados e a grande parte opta pela bola colorida. Podemos lançar um concurso internacional para a criação da bola oficial para os Roller Games.
A direção da ANACP"

Foto|Fonte: ANACP

workshops para rodapé Noticias AutoManicura