a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

1.ª D- Resumo AD ...

terça , Dez. 07 2021
15

Pedro Henriques- “Espero ...

terça , Dez. 07 2021
16

FPP- Formação: Ética no ...

terça , Dez. 07 2021
15

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
61512

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
29999

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
24283

AP Setúbal- Treino da ...

quinta , maio 11 2017
1746

II D - Coimbra vence em ...

quinta , Mar. 29 2018
935

João Paulo Marques: “É o ...

quinta , Abr. 14 2016
1357

5 Barbeiro Completo

Terronia

13765866 645552445600667 1234854720330019797 o

Terminada a época desportiva fomos ao encontro de “Esteves”, o timoneiro da equipa do SC Marinhense que se sagrou campeã nacional da 3.ª divisão, o segundo no historial do Clube.
A estrear-se como técnico principal da equipa acumulando ao mesmo tempo as funções de jogador, foi sem dúvidas uma experiência única para “Esteves” e não podia naturalmente ter desejado melhor.
Tempo agora para retemperar forças. Ele que irá manter-se no Marinhense, mas apenas como jogador onde terá como mister Tiago Sousa (Ex- HC Mealhada).

Antes de mais uma época para recordar.
Campeão nacional da 3.ª Divisão, logo no primeiro ano como treinador. Como foi conseguir viver este momento?

Esse momento foi vivido com intensidade, com muita satisfação e com muito orgulho. Foi difícil e por isso ainda soube melhor. Este titulo vai ficar para a historia do clube e na minha claro, mas como disseste é um momento e já faz parte do passado, não será esquecido mas já se está a trabalhar na próxima época que é o que mais importa neste momento.

- Não deixa de ser curioso assumires pela primeira vez a experiência de técnico e ao mesmo tempo jogador. Se a experiência como jogador já por si não era novidade, o facto de teres a responsabilidade de assumires o comando da equipa, deve ter pesado. Para mais com um objectivo bem definido. Como foi viver durante cerca de 10 meses esta experiência?

Foi pesado e difícil, não posso ser hipócrita ao ponto de dizer que tudo correu bem, 10 meses são 10 meses e não são 2 ou 3, houve dificuldades como se esperava, estamos a falar de gerir feitios e personalidades tanto de jogadores como direcção e isso para mim foi sempre o mais importante. Penso que consegui sempre que a equipa tivesse sempre junta e unida e a remar todos sempre no mesmo sentido.

- Olhando para trás, e fazendo o balanço o que ficou por fazer?

A única coisa que ficou por fazer foi chegar mais longe na taça, quando acabou o jogo em casa contra o Sporting todos sentimos que podíamos ter feito mais, mas ainda assim fizemos historia mais uma vez no clube ao chegarmos tão longe na taça.13735786 644157042406874 663969982647429063 o

- Agora já a “banhos” é mais fácil olhar para as coisas de forma diferente. Como foi o conciliar o trabalho e a família e o hóquei esta temporada?

Quando eu agora digo que não tenho mulher é por isso mesmo, as pessoas não fazem ideia mas não é fácil e se fosse fácil todos o faziam, é difícil e o difícil não é para todos, dias sem ver a família, chegar a casa e estar tudo a dormir, mas lá está a parte boa disto é que ganhei uma super mulher, uma super família que sei que me vai apoiar sempre incondicionalmente e claro valeu a pena, campeão nacional da 3ª divisão, já o tinha sido 1 vez ser novamente e ainda por cima treinador jogador tem um sabor enorme, e jamais o teria conseguido se não fosse a minha super mulher e os meus jogadores eles fizeram a magia acontecer e claro agora merecem tudo "banhos" comer e beber até não haver amanha.

- Quanto ao SC marinhense, achas que o Leão que pareceu adormecido está novamente a voltar aos “bons tempos”? A Cidade percebe a envolvência deste fenómeno e está a ajudar, ou não?

Penso que se deve ir com calma quando se fala do futuro seja ele do que for, durante muitos anos o leão teve adormecido, este ano ele despertou e a cidade percebeu isso e ajudou, tivemos sempre publico e isso deve-se ao trabalho que fizemos dentro de campo, as pessoas gostam de ver o clube a ganhar, e nos nisso não falhamos, mas na minha opinião o caminho é longo e isso não se constrói num ano ou em dois, tem que se mudar as mentalidades, tem que se criar condições de trabalho, tem que haver disponibilidade e vontade de resolver os problemas, tem que se pensar que o clube da terra não é só da terra, o clube da terra é de todos os que quiserem ajudar e ainda assim é difícil, mas está tudo encaminhado nesse sentido.

- Vem uma nova etapa. Agora apenas como jogador, mas numa divisão diferente e com outras responsabilidades. Que “Esteves” podemos esperar?

Uma nova etapa, onde vou querer ser uma opção válida para o meu novo mister, obviamente que quero jogar e vou ter que provar que tenho lugar na equipa e competir com os meus colegas, estatutos não há para ninguém, nomes não existem, o que existe são jogadores unidos numa missão que é ajudar o mister nos objectivos a que se propôs. Há muita qualidade no plantel e isso é bom para o mister que vai ter opções e para os jogadores que vão ter que se esforçar para ser uma opção para o mister.

workshops para rodapé Noticias AutoEpilação