a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Paulo Almeida renova com ...

sábado , Jul. 04 2020
7

Tiago Carvalho segue no ...

sábado , Jul. 04 2020
9

Bautista Acevedo, na ...

sábado , Jul. 04 2020
89

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
58936

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
26812

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
21361

Gonçalo Alves: "Queremos ...

quarta , Abr. 20 2016
897

HC Paço Rei com equipas ...

segunda , Set. 07 2015
1409

CN S15: AD Valongo, ADB ...

domingo , maio 03 2015
1213

pluri unhas J

14753775 1345786865431975 5136530573577352211 o

AE Física D - SC Marinhense 7-6

Foi com uma vitória, muito suada por sinal, que os pupilos de André Gil iniciaram a sua participação no Campeonato Nacional da 2ª Divisão Sul.
Num jogo que colocou frente a frente 2 equipas que na época passada não militavam neste campeonato (Física e Marinhense disputavam respectivamente os Campeonatos Nacionais da 1ª e 3ª Divisões, tendo inclusive a equipa da capital do vidro, sido Campeã Nacional), os da casa não poderiam ter desejado melhor arranque de jogo, pois ao fim de cerca de 16 minutos de jogo, já venciam por 4-0, com Garrancho a destacar-se nesta fase obtendo com um "hat-trick", que a juntar ao golo obtido por Vicente, davam uma vantagem à Física que parecia suficiente para que a gestão do jogo fosse feita a partir daí com tranquilidade.
No entanto Tiago Sousa e os seus comandados não pensaram assim e apesar da grande desvantagem, começaram a pressionar a saída de bola da Física, começando essa estratégia a dar frutos, pois era evidente a dificuldade crescente dos da casa em conseguirem ter a bola em seu poder. Fruto disso, conseguiriam reduzir por 2 vezes ainda antes do intervalo, 1º por "Esteves" na conversão de uma grande penalidade (à 2ª tentativa, pois na 1ª, a defesa de Ricardo Miranda não foi considerada, tendo o árbitro entendido que este se mexeu antes da bola partir) e mais tarde por Orlando no limite dos 2 minutos de PWP que a sua equipa beneficiou na sequência de um Azul mostrado a Ricardo Miranda. Destaque para o facto de na sequência dessa sanção disciplinar, ter entrado o jovem Guarda-Redes (ainda com idade de Sub 20) Rogério Silva que defendeu o livre directo e a consequente recarga, tendo-se mantido na baliza durante os 4 minutos finais deste 1º tempo.
A 2ª parte começa, com a Física a reequilibrar de novo a partida, mas seria de novo de bola parada que o marcador viria a funcionar e uma vez mais em favor dos forasteiros.
Seria de novo "Esteves" a levar a melhor sobre "Gordini", embora fosse apenas na recarga que o 4-3 surgiria.
O jogo estava totalmente aberto e seria de novo a Física a ampliar a sua vantagem, desta feita por Gaspar, quando ainda faltavam 19 minutos para serem jogados.
Ambas as equipas acusavam o esforço despendido, embora nesse aspecto nos parecesse serem os da casa aqueles que mais dificuldades aparentavam, pelo que acabou por não surpreender que o Marinhense conseguisse chegar ao empate quando faltavam apenas 3:30 para o final, tendo nesse período de tempo valido os golos de Orlando e Filipe Vaz.
Pensava-se que os "Torrienses" não iam resistir a este sprint final adversário, mas o cap. Vicente tratou de devolver a vantagem à sua equipa, numa vistosa "picadinha" vindo por detrás da baliza.
Mas as coisas não iam acabar por aqui, pois André Gaspar ainda dilataria a vantagem da sua equipa, recarregando com êxito um Livre Directo por si executado e Felipe Vaz (em PWP, fruto de um cartão azul mostrado a Gaspar) fecharia o marcador em 7-6 a 8 segundos do final.
Nesses instantes finais a emoção esteve mesmo ao rubro, com "Gordini" a defender o LD (desperdiçado por Filipe Vaz) motivado pelo Azul a Gaspar, e quase de imediato, com Esteves a atirar por cima na marcação de uma Grande Penalidade, no mínimo muito duvidosa.

Fonte / Foto – José Carlos Gaspar

workshops para rodapé Noticias EscovaProgressiva