a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Lety Corrales é reforço ...

domingo , Nov. 17 2019
23

Europe Cup- J Viana ...

domingo , Nov. 17 2019
30

Europe Cup- Barcelos ...

domingo , Nov. 17 2019
39

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
57588

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
25520

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
20334

“Póquer” de Nuno Araújo ...

sábado , Jan. 23 2016
1023

OC Barcelos volta a ...

domingo , Abr. 30 2017
4826

Filipe Miranda ex Riba ...

terça , Jul. 29 2014
2231

interioresinteriores

15871496 1440732739270720 1765356937138175448 n

CACO - AE Física D 3-5

No 1º jogo realizado em 2017, a Física ascendeu à liderança do Nacional Sul da 2ª Divisão, ao vencer de forma convincente em Campo de Ourique, e beneficiando da vitória do Grândola na Luz sobre a equipa B do SL Benfica, num jogo que colocou frente a frente as 2 equipas que no final desta 11ª jornada, partilham a liderança do Campeonato com a formação Torriense.
Mas vamos às principais incidências do jogo realizado em Campo de Ourique.
A equipa da casa, contou já com o seu reforço de inverno (Digo Tocha, oriundo do S.Alenquer B.) não contando porém com Fábio Santos (ao que apurámos, em virtude da época de exames universitários, que o têm impedido de treinar). Já os visitantes, contaram com o regresso do seu guarda-redes (Ricardo “Gordini” Miranda) que havia estado ausente durante várias semanas, para além de terem também contado com jovem Sub 20 Joaquim Grilo, que chegou nesta época Natalícia a Torres Vedras por empréstimo do SL Benfica.
A partida começou como é habitual, numa toada de algum estudo mútuo, com ambas as equipas a tentarem perceber a abordagem que o adversário tinha preparada para o jogo.
Estávamos ainda neste período, quando André Gaspar abre o ativo, finalizando um contra ataque de 2x1, com João Lima a assistir, estavam decorridos cerca de 6 minutos de jogo.
A partida continuava bastante dividida, mas eram dos forasteiros as principais situações de perigo. Apercebendo-se disso, Álvaro Ferreira lança na partida Diogo Tocha e Hugo Nascimento, mas isso não impede, que continuassem a ser os homens de André Gil a estar por cima do jogo, sendo esse ascendente traduzido em golos, de novo por André Gaspar, desta feita na sequencia de uma transição rápida do jovem avançado Torriense, que finalizaria a sua ação com um remate colocado à entrada da área.
Estávamos sensivelmente a meio deste 1º período, quando é operada a 1º alteração nos visitantes, com Garrancho a dar lugar ao capitão Carlos Godinho (ainda em convalescença de uma pequena mazela), ele que poucos instantes depois eleva para 3-0, na sequência de mais uma transição muito rápida, culminada com um remate enrolado á entrada da área.
A 8’30’’ do final, André Gaspar vê cartão azul a castigar um hipotético derrube a Hugo Nascimento, num lance que nos deixou muitas dúvidas.
Do livre direto nada resultou, pois o regressado “Gordini” opôs-se com êxito á execução de Gabriel Monginho.
Mas praticamente na jogada seguinte, e beneficiando da superioridade numérica que o PWP conferia à equipa do CACO, Hugo Nascimento reduz para 1-3, através de uma forte sticada de fora da área, na sequência da marcação de um livre indireto á entrada da área.
Já com o jovem Fábio Cambão em pista, a Física volta a estar perto de ampliar a sua vantagem em algumas situações, até que numa jogada de entendimento perfeito do ataque planeado, essa vantagem é mesmo ampliada para 1-4, com Fábio Cambão a finalizar com grande frieza na “cara” de Guilherme Lopes, após grande assistência de Garrancho.
Faltavam cerca de 2 minutos para o intervalo, não se tendo registado nada de mais relevante até lá.
Para o início da 2ª parte, a principal alteração, teve a ver com a substituição do guarda-redes da equipa da casa, entrando o capitão João “Pepe” Gouveia para o lugar de Guilherme Lopes.
Foi também notório, o aumento da agressividade defensiva da equipa da casa, mas apesar dessa maior ambição, as contas podiam ter ficado ainda mais complicadas para o CACO, caso Gaspar tivesse concretizado o LD que penalizou um enganchamento de Nascimento ao jovem Cambão, para além do facto de os 2 minutos de PWP terem também sido desperdiçados pela equipa do Oeste, para dilatar ainda mais a sua vantagem.
Este facto não “encolheu” os pupilos de Álvaro Ferreira, que foram continuando a tentar pressionar mais alto a saída de bola adversária, embora na verdade essa estratégia raramente tenha resultado em evidentes benefícios para os da casa, uma vez que continuavam a pertencer á Física as mais evidentes ocasiões de golo, com “Pepe” nesta fase a revelar-se decisivo para manter a sua equipa no jogo.
Os minutos foram passando, até que a 11 minutos do fim, o jovem Tiago Fraústo remata de fora da área, traindo “Gordini” que pareceu não ter visto a bola partir, obtendo um golo que se pensava poder relançar a emoção na partida, mas na verdade João Lima não esteve pelos ajustes, pois de imediato, tratou de restabelecer 3 golos de vantagem para a sua equipa, fazendo o 2-5 através de um forte remate cruzado, desferido à entrada da área.
Faltavam pouco mais de 10 minutos para o final, período durante o qual o jogo não registou grandes motivos de interesse, havendo essencialmente a registar o 3º golo do CACO, da autoria de Hugo Nascimento, que converteu com êxito uma grande penalidade a castigar um derrube sobre Diogo Tocha, para além dos Livres Diretos desperdiçados por ambas as equipas na sequencia das 10ª falta, tendo nesse particular sido Fraústo e Gaspar a desperdiçarem essas soberanas oportunidades.
Como nota final dizer que no próximo fim de semana a Física irá estrear-se na edição deste ano da Taça de Portugal, viajando até Ourém para defrontar a Juventude local, enquanto o CACO fica a descansar em virtude de ter ficado isento desta eliminatória.

Fonte – José Carlos Gaspar

Foto - Joana Caldeira

workshops para rodapé Noticias AutoEpilação