a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Marinhense soma terceiro ...

domingo , Dez. 05 2021
12

Paulo Pereira- “Nunca vi ...

domingo , Dez. 05 2021
19

No Dérbi do Minho o ...

domingo , Dez. 05 2021
13

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
61504

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
29994

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
24269

Mais um reforço para o ...

sexta , Ago. 09 2019
1481

Alverca só pensa na ...

quinta , Out. 08 2020
641

Benfica sofre mas vence ...

sábado , Mar. 16 2019
713

5 Barbeiro Completo

Terronia

17353492 1824509377812130 3268457422626257409 n

Nelson Mateus que à poucas semanas deixou o cargo de treinador da equipa sénior do HCP Grândola, deu uma entrevista à Página de Facebook “Jornal HCPG” onde deixa o seu testemunho após várias épocas à frente do Clube da “Vila Morena”, onde sob o seu comando subiram à 2.ª divisão e ali tem alicerçado a sua posição e são neste momento uma das equipas que luta pelos lugares de acesso à 1.ª divisão.
Numa extensa entrevista realizada por esta página do Clube de Grândola, são abordados vários temas com Nelson Mateus a deixar o seu testemunho, mas mais que isso a sua gratidão e paixão pelo Clube.
Deixamos aqui, na integra, a entrevista.

O Jornal HCPG foi conversar com Nelson Mateus, ex-treinador dos seniores do HCPG que agora assume, em conjunto com Marcelo Bento e António Pereira, os escalões de formação, escolinhas e escolares.
JHCPG: A tua saída da equipa sénior surpreendeu, não só Grândola como também o mundo do hóquei. Qual a razão da tua saída dos seniores neste momento?
NM: A minha saída acontece por 2 motivos: Primeiro porque, como treinador, achei que não conseguia motivar os meus jogadores a ter melhores prestações; o segundo motivo teve a haver com um grande desgaste emocional que já tinha acumulado ao longo dos anos, o que me levou a pensar primeiro na minha família em detrimento do hóquei.
JHCPG: Qual tem sido a reacção dos adeptos do HCPG e do mundo do hóquei em relação à tua saída dos seniores?
NM: Foi encarada com surpresa, na maioria das pessoas. Tinha sido um percurso que, na sua maioria, foi feito com qualidade e sustentabilidade, e dessa forma as pessoas ficaram surpresas com a minha saída.
JHCPG: Deixas a equipa no 4º lugar a apenas 4 pontos dos lugares de subida à 1ª Divisão. Qual a tua expectativa, agora como adepto? Esperas que o HCPG tente a subida?
NM: É a mesma que tinha como treinador, acredito muito que é possível. Acho que tudo depende de como todos se vão envolver nessa possibilidade (jogadores, treinadores, direção e adeptos).
JHCPG: Como analisas a prestação dos seniores nesta temporada?
NM: Tem sido uma prestação positiva mas que, na realidade, esperava que a equipa estivesse melhor. Analisando todos os jogos onde perdemos pontos, só em 2 jogos (Parede e Salesiana) é que a equipa não merecia pontuar. Os outros jogos perdemos pontos sempre com erros que, a este nível, poderíamos ter feito bem melhor.
JHCPG: Irás sentir saudades do ambiente sénior?
NM: Sim, claro. Afinal foram quase 6 anos como treinador destes jogadores. Criei, com a maioria deles, amizades que vão durar para o resto da minha vida, mas tudo tem o seu tempo e agora quero desfrutar do prazer de ensinar os mais novos.
JHCPG: Quais foram o melhor e pior momento enquanto treinador dos seniores?
NM: Melhor momento, sem dúvida a subida de divisão. Pior momento, não creio que tenha havido assim nenhum em especial, mas o ano em que estivemos a lutar para não descer acaba por ser o momento menos positivo desde a minha chegada ao clube.
JHCPG: Que “conselhos” deixas ao novo treinador Joaquim Alves “Quim Zé”?
NM: Acho que um treinador como ele não precisa de conselhos da minha parte. Ele tem muita experiência nestas “andanças”, e sabe perfeitamente o que tem de fazer para que esta equipa lute pela subida de divisão.
JHCPG: A 2ª Divisão – Zona Sul é conhecida pela sua grande competitividade, este ano ainda mais, com apenas 8 pontos a separarem o 1º do 8º. Qual é o seu segredo?
NM: O segredo está na qualidade de trabalho que tem melhorado muito na 2ª divisão. As equipas estão cada vez a treinar melhor e a preparar-se melhor para os jogos. Isso faz com que os jogos sejam muito equilibrados e que as equipas sintam que podem vencer em qualquer campo.
JHCPG: Existem bons talentos nesta 2ª Divisão – Zona Sul? Tais como? Qual seria o teu 5 ideal?
NM: Claro. Existem muitos e bons jogadores. Todas as equipas têm muito talento individual mas, para mim, o talento coletivo tem de ser superior ao individual. Por isso, custa-me estar a escolher 5 jogadores por si só, pois não acredito, num jogo coletivo, que o talento individual por si só singre.
JHCPG: Se tivesses de apostar, quem será o campeão e quem irá ao play-off de subida nesta 2ª Divisão – Zona Sul?
NM: Apostaria no Grândola para subir em 1º lugar. Depois, entre o Parede e o Marítimo, gostaria que uma das 2 fosse ao play-off.
JHCPG: Tendo em conta o excelente trabalho feito em Grândola e os elogios à equipa e ao clube, se surgir um convite tentador de Lisboa, por exemplo? É um sonho?
NM: Se surgir, vou analisar como sempre fiz na minha vida. Falarei com a minha família e verei o que é melhor para nós. Neste momento, o meu sonho é ver o HCPG na 1ª divisão. Não tenho mais sonhos imediatos senão esse.
JHCPG: Agora que voltas à realidade da formação do HCPG, algo que é muito importante para o clube, que vai formando vários bons jogadores, qual é o próximo passo, agora que te juntas aos pequeninos? Quais são os objectivos?
NM: Os objetivos da formação são, na minha ótica, dar condições aos miúdos para poderem ser competitivos nos escalões de competição (SUB-17, SUB-20 e Seniores). A vitória é importante, mas há coisas mais importantes, como aprender os fundamentos técnicos e táticos para poder ganhar mais tarde. A juntar a isto, o gosto pela modalidade e a capacidade de querer ser melhor a cada dia que passa são os ingredientes que procuro transmitir aos nossos jogadores mais novos.
JHCPG: De certeza que a “miudagem” irá delirar por te ter como treinador. Que reacção esperas da parte dos pequeninos, que são o futuro do HCPG?
NM: Espero que me vejam como mais um para os ajudar a melhorar em todos os treinos. É importante que eles gostem de melhorar, independentemente de ganharmos ou não, é fundamental que não percam o gosto pela vontade de aprender e serem melhores em todos os treinos.
JHCPG: Como vai ser agora o teu dia-a-dia?
NM: O meu dia-a-dia vai ser muito mais calmo, pois estarei a ajudar os Escolares e a acompanhar alguns jogos. Terei mais tempo para estar com a minha família, que teve muito pouco de mim ao longo deste tempo como treinador de Seniores.
JHCPG: Uma última questão…há possibilidade de um dia voltares aos Seniores?
NM: Claro, mas tudo tem o seu tempo e, neste momento, quero desfrutar do ensino dos mais novos e passar para eles todo o meu conhecimento da modalidade.

Fonte – Página do facebook “Jornal HCPG” - Ricardo Piteira / Diogo Jacinto

Foto - Jornal HCPG

workshops para rodapé Noticias ExtensãodeSobrancelha