a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Conheça a equpa B do HC ...

segunda , Set. 21 2020
155

Nuno Pinto- “Estou ...

domingo , Set. 20 2020
76

Sporting CP vence ...

domingo , Set. 20 2020
355

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
59438

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
27284

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
21704

Treinos das Seleções ...

quarta , Out. 18 2017
707

FPP atualiza lista dos ...

segunda , Abr. 03 2017
1463

Espanha- OK Liga- CP ...

terça , Ago. 18 2015
1442

PP3

IMG 0444

GDS Cascais – HC Santiago 1-2

O Cascais sofreu a sua quarta derrota em casa num jogo que se decidiu já sobre o apito final da mesa. Depois de ter sido derrotada frente ao Sporting “B”, Muches e Sesimbra, a formação da linha a não ser capaz de contrariar o melhor rigor táctico da equipa de Santiago do Cacém que se aproximou desta forma ao conjunto liderado por Bruno Carvalho, na classificação geral após a 18.ª jornada.
Num jogo pautado pelo equilíbrio, foram os guardiões de ambas as equipas que tiveram maior protagonismo em particular os dois guardiões da formação forasteira, João Robalo com uma grande exibição e Henrique Gonçalves que defendeu 3 LD e 1 GP.
Os golos aconteceriam já njo segundo tempo e foi o Cascais a inaugurar o marcador logo ao minuto inicial por intermédio de Diogo Fernandes.
O HC Santiago chegou ao empate aos 23 minutos de LD e já ao soar do gong Ricardo Matias a bisar e a garantir simultaneamente o triunfo ao conjunto liderado por Jorge Silva.
Numa partida onde qualquer das equipas poderia ter vencido, foi no aproveitar das oportunidades que saiu o vencedor.
Note de registo e pelas piores razões, a confusão que se gerou após o apito do árbitro (Joaquim Sequeira) com os jogadores da formação do Cascais a cercarem o árbitro que teve que sair em passo de corrida para não sofrer danos maiores. Cenas pouco dignas, e embora se perceba que tenham sido a quente, não são justificáveis, por muita razão que assistisse a formação da casa. Depois de um jogo intenso e viril, o espectáculo final era de todo dispensável.

Foto – Luísa Robalo

workshops para rodapé Noticias NailArt