a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Taça de Portugal joga-se ...

sexta , Jan. 21 2022
40

FPP- Nomeações de 23 a ...

sexta , Jan. 21 2022
31

1.ª D- Resumo da AD ...

sexta , Jan. 21 2022
25

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
61634

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
30157

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
24452

Sai Agulhas…. entra ...

terça , Jun. 19 2018
1357

1.ª Div: Turquel recebeu ...

segunda , Abr. 09 2018
1091

Pedro Nobre chamou 11 ...

sexta , Dez. 15 2017
1889

3 Cabeleireiro Inicial

Terronia

00000303

«Considerando que muitos dos nossos treinadores terminam em 31 de Outubro de 2018 o prazo para a Revalidação do seu Título, relembramos a Legislação em vigor sobre esta matéria.

Chamamos particular atenção aos pontos 3, 4 e 5 do Artigo 5 da Portaria n.º 326/2013 de 1 de Novembro e para a sua interpretação.

Lei n.º 40/2012 de 28 de agosto
Artigo 8.º
Revogação e caducidade do título

1 — O IPDJ, I. P., deve promover a revogação do título profissional quando se conclua pela falsidade de qualquer elemento comprovativo dos requisitos para a respetiva emissão, sem prejuízo de eventual condenação por ilícito contraordenacional.

2 — O título profissional caduca sempre que o seu titular não frequente com aproveitamento, no período de cinco anos, ações de formação contínua, tal como definido por portaria do membro do Governo responsável pela área do desporto, ministradas por federação desportiva titular do estatuto de utilidade pública desportiva ou por entidade formadora certificada, nos termos do artigo 9.º, com referência, nomeadamente, à definição das ações de formação e das áreas temáticas, à correspondência das unidades de crédito com as horas de formação, ao número mínimo de unidades de crédito e ao procedimento para o reconhecimento das ações de formação.

3 — A revalidação do título profissional, através de plataforma informática criada para o efeito, é automática logo que se verifique o cumprimento do requisito referido no número anterior, sem prejuízo de eventual condenação por ilícito contraordenacional.

Portaria n.º 326/2013 de 1 de Novembro
Artigo 5.º
Unidades de crédito necessárias

1 — Para efeitos do previsto no n.º 3 do artigo 8.º da Lei n.º 40/2012, de 28 de agosto, são necessárias 10 UC para a revalidação do TPTD dos graus I, II, III e IV.

2 — As UC referidas no número anterior devem ser obtidas ao longo de um período de cinco anos, tendo por referência as necessidades formativas e as oportunidades de formação.

3 — Das 10 UC referidas no n.º 1, pelo menos cinco devem ser obtidas através de formação presencial.

4 — Nos graus I e II, pelo menos metade das UC deve ser obtida em ações de formação contínua da área de formação específica, podendo as restantes ser obtidas em ações de formação contínua da área de formação geral.

5 — Nos graus III e IV, as UC podem ser obtidas em ações de formação contínua de ambas as áreas de formação.

6 — Para efeitos da presente portaria, sempre que concluída formação do ensino superior na área do Desporto ou da Educação Física, essa formação confere automaticamente cinco UC da área de formação geral e, caso a formação seja no âmbito da modalidade desportiva correspondente ao TPTD, confere igualmente cinco UC da área de formação específica.

7 — As UC obtidas em excesso durante o período de tempo referido no n.º 2 não transitam para o período de tempo seguinte.

8 — Caso o treinador de desporto seja titular de mais do que um TPTD, a formação obtida na área de formação geral serve para a revalidação de todos os TPTD, sendo necessário apenas cumprir o número de UC na área de formação específica para cada TPTD, nos termos previstos na presente portaria.»

Fonte: FPP

workshops para rodapé Noticias VernizGel