a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

San Juan recebe a Taça ...

quinta , Out. 18 2018
28

Campeonato Africano de ...

quinta , Out. 18 2018
24

Raul Marín- “Muita ...

quinta , Out. 18 2018
104

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
55811

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
23745

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
19051

1.ª Divisão- Sorteio ...

terça , Jul. 31 2018
403

Hélder Nunes – “o ...

sexta , Mar. 23 2018
279

Sorteio do 40º Torneio ...

segunda , Fev. 01 2016
797

imgS620I218847T20180413143450

<Ao comandar o FC Porto à final-four da Liga Europeia, Guillem Cabestany fez história ao tornar-se no primeiro treinador que vai dirigir três equipas diferentes na fase final da competição de clubes mais importante da Europa.

Uma marca relevante e destacada no periódico catalão L'Esportiu, lembrando o sucesso que o atual treinador do FC Porto teve também ao serviço do Vendrell, de Espanha, e do Breganze, de Itália.

O jornal da Catalunha fala mesmo na «magia do três», uma expressão que começou a ser utilizada a partir do dia em que o Vendrell, orientado por Guillem Cabestany, conquistou a Taça Oviedo frente ao Reus, naquele que foi o primeiro título sénior do clube em 55 anos de história. Um jogo de loucos que o Vendrell venceu no prolongamento por 4x3, com um golo de Xavi Barroso, agora no Barcelona, depois do Reus ter estado a vencer por 3x1.

Ora, desde esse dia surgiu a referida «magia do três» porque o jogo realizou-se a 13 de março de 2013 e registou-se um empate 3x3 no final dos 50 minutos. Uma expressão recuperada pelo L'Esportiu para destacar o facto histórico de Guillem Cabestany que ficará completo quando começar a final-four da Liga Europeia, sendo que o FC Porto tem encontro marcado com o Sporting nas meias-finais.

Ao jornal catalão, Guillem Cabestany destacou o apuramento para a final-four, admitindo que existe diferenças entre qualificar o FC Porto e o Breganze e o Vendrell. 

«Havia uma espinha encravada por causa dos dois anos anteriores em que fomos eliminados pela UD Oliveirense e pelo Reus. Atingir a final-four é cumprir o objetivo a que nos propusemos. No Breganze e no Vendrell foi diferente, foram êxitos sonantes», comentou.

Treinador do FC Porto procura primeira final da Liga Europeia

Apesar de estar prestes a tornar-se no primeiro treinador a orientar três equipas diferentes na fase final da Liga Europeia – competição assim designada de 1996/1997 -, Guillem Cabestany nunca conseguiu chegar à final da competição, algo que procura agora ao serviço do FC Porto.

Mas, curiosamente, uma das equipas que impediu o treinador catalão de disputar o jogo decisivo foi precisamente...o FC Porto. Em 2013/2014, época na qual surpreendeu ao levar o Vendrell à final-four, Guillem Cabestany viu o sonho de chegar ao duelo decisivo ruir por culta da sua atual equipa, que venceu na meia-final por 6-3. Quatro dos seis golos dos dragões foram apontados por jogadores que hoje são orientados por si: Hélder Nunes e Jorge Silva, que bisaram. Os restantes foram assinados por hoquistas que vão tentar impedi-lo de chegar novamente à final: Caio e Vítor Hugo, que atualmente servem o Sporting, adversário do FC Porto na meia-final.

Na temporada seguinte, Guillem Cabestany voltou a surpreender mas ao serviço dos italianos do Breganze. Mas dessa vez o Barcelona venceu os transalpinos por 5x1 e voltaram a impedir o treinador catalão de chegar à final da Liga Europeia. A título de curiosidade, o seu atual clube, o FC Porto, também caiu na mesma fase da competição, tendo perdido com o Vic por 3x2.

Três treinadores que estiveram na final-four com duas equipas diferentes

Até garantir o apuramento do FC Porto para a final-four da Liga Europeia, Guillem Cabestany pertencia ao lote de treinadores que tinham orientado duas equipas distinhas nessa fase da competição.

Agora sem o técnico dos azuis e brancos, o grupo fica reduzido a três elementos: Carlos Figueroa (Barcelona e Reus), Ferran Pujalte (Barcelona e Vic) e Tó Neves (FC Porto e UD Oliveirense).

O português, de resto, foi sucedido por Guillem Cabestany no comando técnico dos dragões, depois de ter perdido duas finais europeias como treinador do FC Porto. Uma em 2012/2013, frente ao Benfica no Dragão Caixa, e outra em 2013/2014, diante do Barcelona no Palau Blaugrana. 

De resto, Tó Neves, que saiu dos azuis e brancos para a UD Oliveirense, já disputou mais duas finais da Liga Europeia pelo conjunto de Oliveira de Azeméis, tendo sido derrotado em ambas. A primeira em 2015/2016, frente ao Benfica no Pavilhão Fidelidade, e a segunda em 2016/2017, frente ao Reus em Lleida.>

Foto: FC Porto ± Fonte: Zerozero.pt