a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

HC Fão quer regressar ao ...

quarta , Jul. 08 2020
41

Carta Aberta do ...

quarta , Jul. 08 2020
148

Jorge Nunes é o novo ...

quarta , Jul. 08 2020
98

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
58969

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
26834

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
21377

Pedro Mimoso renova com ...

terça , Set. 12 2017
848

Conheça os ...

sábado , Jul. 25 2015
1029

Entrevistas do Torneio ...

sexta , Jul. 17 2015
942

pluri unhas J

 a estrategia da sanjoanense para o desejo europeu italia e e

Pedro Ribeiro, presidente da Sanjoanense, teme pela próxima época. O dirigente, que também é empresário e principal financiador do clube, aperta o cinto.

A crise financeira provocada pela codiv-19 bate à porta dos clubes que, com com orçamentos dez vezes inferior aos grandes, tentam sobreviver. Pedro Ribeiro, presidente da Sanjoanense, não o esconde: "Vamos passar um mau bocado. Sou empresário e tenho a noção que as empresas vão fechar a torneira, e muito. No ano passado, fizemos um campeonato com cerca de 80 mil euros, o qual na próxima época terá de andar para trás. É surreal andarmos numa I Divisão com esta capacidade financeira. Há clubes da II Divisão que pagam mais."

Com pavilhão próprio, 150 jogadores entre formação e equipa sénior masculina e feminina, "o clube programa a próxima época com cortes" e Pedro Ribeiro, também empresário no setor da restauração e principal financiador da Sanjoanense, afirma: "Ninguém sabe ao certo o que nos espera. Preocupa-me saber se em setembro podemos arrancar com treinos coletivos; ou se uma possível nova vaga obrigará tudo a parar outra vez, o que seria mesmo muito complicado; se haverá jogos à porta fechada, uma vez que a bilheteira tem um peso grande para nós - os 1500 euros por jogo ajuda-me a pagar as taxas inerentes ao jogo - ; se teremos de fazer testes que não temos capacidade para pagar."

Tal como outros clubes, a Sanjoanense pede "redução nas taxas de organização de jogo e policiamento".
Em 2020/21, vai ter "menos equipas na formação e vai acabar com equipa de sub-23 para disputar a III Divisão com uma equipa B." O feminino é para continuar - "não serei eu o coveiro do feminino", frisa Pedro Ribeiro - e quanto ao plantel principal, "está tudo praticamente fechado". "Se conseguir manter todos é o ideal", adianta o dirigente, apoiante do play-off que aí vem: "É um incentivo tentar lá chegar. Financeiramente não será mais um encargo, porque a época acaba em maio mas por causa da Taça de Portugal pagamos dez meses e o play-off implica fazer mais um/dois jogos."

O oitavo lugar no campeonato coloca a Sanjoanense na Taça WSE, o que levou um grupo de adeptos a lançar uma petição, já com 562 assinaturas, a apelar ao apoio da câmara na presença nesta prova europeia. Pedro Ribeiro, que não assinou, diz que "sem apoios extra não há Europa". "Não vamos andar a inventar e hipotecar equipas", afirma, explicando que não falou ainda com nenhum dos 50 pequenos patrocinadores: "Pedir apoios a quem tem funcionários em lay-off é ingrato. Vou esperar pelo final de julho."

Fonte- Jornal “O Jogo” * Foto- AD Sanjoanense

6 pluriform