a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Resumo OC Barcelos- AD ...

terça , Out. 20 2020
22

CNF- centro- AA Coimbra ...

terça , Out. 20 2020
79

CNF- Norte- “Hat-Trik” ...

terça , Out. 20 2020
49

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
59524

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
27408

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
21817

3.ª Divisão - Ap. ...

quinta , Jun. 01 2017
1052

Série A1 Itália: Fort ...

terça , Nov. 03 2015
1151

João Ferreira procura ...

segunda , Jul. 24 2017
1825

Cursos Grupos 2

IMG 20200905 165915

Arrancou a fase preliminar de apuramento para a 1.ª divisão com o “Casablanca”, despido de público, o que deixou uma sensação rara aos poucos que puderam assistir ao encontro, a receber o CD Paço Arcos-SC Tomar numa partida onde as duas equipas jogaram com vontade de vencer, mas mais preocupadas em não perder.
Foram duas equipas com as mesmas ambições, mas temerosas uma da outra onde o trabalho defensivo foi sempre mais apurado que o trabalho ofensivo.
Jogo em muitos momentos intenso, numa primeira parte com sinal mais dos tomarenses, que tiveram algumas oportunidades flagrantes para poder inaugurar o marcador. Foi a equipa de Nuno Lopes que procurou quase sempre assumir o risco obrigando a trabalhos forçados a defesa do PA.
Mas até ao intervalo, o nulo manteve-se, muito por culpa não só da precipitação dos avançados, como, em particular das excelentes exibições dos dois guardiões de serviço (“Matraco” do lado do CDPA e Veludo pelo SCT).
Na segunda metade manteve-se mais ou menos o mesmo figurino, mas com o correr dos minutos o equilíbrio veio ao de cima.
Seria o SC Tomar a inaugurar o marcador por Ivo Silva aos 9 minutos, mas a resposta do CD Paço Arcos não demorou a aparecer, com Ricardo Barreiros a empatar aos 12 minutos. E seria a formação da casa a confirmar a reviravolta pouco depois com um golo de Filipe Fernandes numa insistência individual e a surpreender a defesa leonina.
O golo do empate chegou ao minuto 19 numa fase que o SC Tomar jogava em superioridade numérica depois do Azul mostrado a Filipe Fernandes.
Até final, houve algum frisson junto às duas balizas mas a preocupação de não sofrer golo, ficou patente nas duas equipas, prevalecendo sobre o resto.
Um resultado que acaba por se aceitar entre duas equipas que preferiram jogar no seguro.
Um Paço Arcos que viveu muito da experiência e qualidade de Ricardo Barreiros, que foi claramente o “mestre de cerimónias” do PA, frente a um SC Tomar que valeu pelo seu todo.
Na próxima ronda (a jogar na próxima quarta feira, dia 9) o SC Tomar recebe no Municipal de Tomar o HC “OS Tigres” enquanto o CD Paço Arcos vai até à Embra para defrontar o SC Marinhense.

1 formandum